exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Carros

VW e-Golf com 300 km de autonomia já disponível em Portugal

O elétrico e-Golf e o híbrido plug in Golf GTE são os mais recentes membros da nova geração da família Golf. As maiores novidades estão no e-Golf, que ganhou mais equipamento e uma bateria com mais 50% de capacidade.

  • 333

É um aumento muito significativo: o novo e-Golf tem uma bateria com mais 50% de capacidade que a verão anterior, atingindo agora a marca dos 35,8 kWh. Capacidade que permite ao novo Volkswagen entrar no clube ainda relativamente restrito dos automóveis elétricos com 300 km de autonomia máxima segundo a norma europeia NEDC. Segundo a Volkswagen, em condução normal a autonomia real é de cerca de 200 km. Valor que parece estar de acordo com os dados que recolhemos durante a apresentação à imprensa nacional, onde o e-Golf percorreu cerca de 160 km, em que aproximadamente metade do percurso foi feito em autoestrada. Numa condução muito despreocupada obtivemos médias em redor dos 16 a 17 kWh/100 km e percebemos que não é difícil baixar para cerca de 14 kWh/100 km.

A potência também aumentou atingido agora os 136 cavalos. A aceleração dos 0-100 km/h é feita em 9,6 segundos, mas ainda mais impressionante é a aceleração dos 0 aos 80 km/h em menos de sete segundos.

O e-Golf suporta vários tipos de carregamento da bateria, sendo que a novidade é o aumento da potência máxima em corrente alternada para 7,2 kW (no anterior e-Golf era de 3,6 kW), carregamento que pode ser feito através de uma wallbox em pouco mais de cinco horas (dos 0 aos 100%). Numa tomada normal, o tempo de carregamento pode chegar às 17 horas, enquanto num posto de carregamento rápido DC é possível carregar 80% da bateria em 45 minutos (ficha CCS a 40 kW).

O percurso de apresentação do e-Golf e do Golf GTE incluiu a travessia do rio Sado em ferries

O percurso de apresentação do e-Golf e do Golf GTE incluiu a travessia do rio Sado em ferries

De série, o e-Golf vem carregado de tecnologia, incluindo um ecrã tátil de 9,2 polegadas com alguns comandos controlados por gestos, sistema de travagem de emergência e gestão remota via Internet . O modo de condução semiautónoma em zonas de trânsito intenso a uma velocidade até 60 km/h é um dos opcionais disponíveis.

O Volkswagen e-Golf tem um preço recomendado de 40.463 euros.

Mais caro (€44.690) é a versão GTE, um carro com performances de desportivo que junta um motor a gasolina (1.4 Turbo) com um motor elétrico para conseguir uma potência combinada de 204 cavalos, que permite uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 7,6 segundos. Os consumos anunciados são de 1,6 litros nos primeiros 100 km graças à possibilidade de fazer 50 km em modo puramente elétrico. Os representantes da Volkswagen garantem que os híbridos plug-in, como este GTE, têm um custo de utilização para as empresas 30% mais reduzido que os diesel equivalentes devido ao menor consumo e às vantagens fiscais. Vantagem que é ainda maior nas versões totalmente elétricas, como é o caso do e-Golf.

O ecrã LCD tátil é generoso e tem uma interface gráfica apelativa

O ecrã LCD tátil é generoso e tem uma interface gráfica apelativa

  • 333