exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

MI - Mobilidade Inteligente

O seu próximo carro deve ser elétrico

Novos modelos com mais autonomia, menores custos de utilização, alargamento da rede pública de carregamento, menor impacto ambiental… Há muitas e boas razões para que o seu próximo veículo seja elétrico

  • 333

Em 2017 foram vendidos, segundo a ACAP, mais de 260 mil automóveis ligeiros em Portugal. Mas apenas cerca de 4000 foram elétricos (incluindo híbridos plug-in), o que significa que este tipo de carros ainda representa menos de 2% do mercado das vendas de automóveis novos. Por outro lado, o crescimento foi superior a 100% relativamente ao ano anterior, bem acima do crescimento do mercado (cerca de 7%). Ou seja, há cada vez mais portugueses a adquirirem automóveis elétricos.

Incentivos para aquisição

Em 2017, os compradores de automóveis elétricos puderam pedir um incentivo ao Estado de 2250 euros após a compra dos veículos. Um valor limitado às primeiras mil unidades mas que, segundo foi possível apurar, não foi esgotado apesar de as vendas de automóveis totalmente elétricos terem ultrapassado o número limite imposto pelo orçamento de estado. Aparentemente, algumas candidaturas ao apoio terão sido recusadas por não preencherem todos os requisitos.

O Governo já anunciou que para este ano o valor do incentivo para a aquisição de carros 100% elétricos será o mesmo, embora ainda não seja público qual o limite de apoios disponível. Mas há uma novidade: também as motos elétricas têm direito a um incentivo de 400 euros, o que, em conjunto com o lançamento de mais modelos, deverá ajudar a animar o mercado das duas rodas.

A estes benefícios juntam-se vantagens fiscais. Para os privados, a grande vantagem é a isenção de imposto único de circulação (IUC) nos veículos 100% elétricos, o que pode representar algumas centenas de euros ao fim de alguns anos. Mas é para empresas que as vantagens são maiores: dedução do IVA a 100% e vantagens em sede de IRC. Parte destas vantagens fiscais estão também disponíveis para híbridos plug-in, embora com percentagens menores.

Este artigo faz parte da Exame Informática Semanal. Para continuar a ler, CARREGUE AQUI (acesso livre).

  • 333