exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

MI - Mobilidade Inteligente

Volkswagen quer produzir baterias sólidas em 2025

Um investimento de 100 milhões de dólares torna a Volkswagen a maior acionista da QuantumScape, uma empresa que está a desenvolver a tecnologia de baterias sólidas.

  • 333

O envolvimento da Volkswagen com a empresa norte-americana QuantumScape começou em 2012, com a colaboração dos departamentos de investigação e desenvolvimento das duas empresas. A ligação entre o fabricante de automóveis alemão e a empresa norte-americana foi agora reforçada. Em termos práticos, o investimento de 100 milhões torna a Volkswagen a maior acionista da QuantumScape. O que significa que, se a transação for aprovada pelas autoridades reguladoras, a Volkswagen passa, efetivamente, a controlar a QuantumScape que detém cerca de 200 patentes na área das baterias sólidas.

De acordo com o comunicado da marca alemã, o objetivo deste investimento é produzir em série baterias sólidas em 2025. Baterias que serão usadas para equipar veículos elétricos. No mesmo comunicado, a Volkswagen dá um exemplo concreto das vantagens das baterias sólidas: «Por exemplo, a tecnologia de baterias sólidas permitiria aumentar a autonomia do VW E-Golf para cerca de 750 km comparado com os 300 km atuais». Isto para baterias de dimensão similar.

De facto, as baterias sólidas têm sido anunciadas como uma revolução na tecnologia de acumulação de energia. Vários investigadores garantem que, quando comparadas com as baterias atuais de iões de lítio, esta tecnologia permite uma densidade muito superior (mais energia acumulada em menos espaços), maior segurança (não têm risco de incêndio), capacidade de suportar uma potência de carregamento mais elevada e uma longevidade superior.

Recorde-se que uma das investigadores líderes nesta área é a portuguesa Helena Braga, que trabalha no desenvolvimento de baterias sólidas com John B. Goodenough, considerado o “pai” das baterias de iões de lítio. Como a Exame Informática noticiou em primeira mão, o projeto destes dois investigadores tem vindo a criar grande entusiasmo na comunidade científica.

Helena Braga esteve recentemente em Portugal e explicou, em pormenor, a tecnologia de baterias sólidas numa entrevista à Exame Informática.