Contar pessoas através de imagens de satélite

25/05/2012 10:06

Investigadores querem contar pessoas em áreas afetadas por guerras ou desastres naturais com recurso a imagens de satélite. O projeto piloto já está a dar frutos.

A Terra vista à lupa

A Terra vista à lupa

A organização Médicos Sem Fronteiras é uma das parceiras neste projeto. «Os números da população são tudo. Precisamos de calcular o tamanho, a escala e o modo de intervenção e não o conseguimos fazer se não soubermos quantas pessoas estão», explica Ruby Siddiqui, dos Médicos Sem Fronteiras.

Neste momento, as contas são feitas por estimativa e por amostragem de um determinado local. Por exemplo, organizações humanitárias visitam um bairro e recolhem dados sobre a densidade populacional e depois extrapolam para toda a cidade, noticia a New Scientist.

Este método, além de acarretar riscos para quem está no terreno, pode também ser impreciso e exige demasiadas horas de análise. O projeto agora apresentado foi proposto pela Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres e consiste na recolha de imagens de satélite e no uso destas fotografias para estimar o número de pessoas em determinada área no Chade.

Os primeiros resultados foram apresentados numa conferência dos Médicos Sem Fronteiras. Os números recolhidos pelos dois métodos coincidiram e o método da recolha por satélite conseguiu o resultado final em metade do tempo. Desta forma, a organização, que pretende vacinar a população contra a meningite, vai conseguir encomendar a dose certa de vacinas.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Vídeos

Exame Informática 243, setembro

É possível dominar o Facebook? Sim, é! Aprenda a controlar na totalidade esta Rede e fique, até, a saber como a pode usar para ganhar dinheiro. Testamos o novo Galaxy S6 Edge+, dizemos-lhe o que muda no hardware com a chegada do Windows 10 e testamos a mais recente geração de processadores da Intel. Mas isto é só o início: há muito mais nesta edição a não perder!

EI Tv