exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência

bioWave: vêm aí os geradores que imitam algas

Uma empresa australiana pretende começar a explorar a energia dos oceanos através de geradores que mimetizam o comportamento das algas Kelp.

  • 333

Quando chegou a hora de criar um gerador eficiente que conseguisse resistir às marés, os peritos da BioPower Systems não tiveram de procurar muito além dos oceanos. As algas, que vivem nos mares há milhares de milhões de anos, serviram de inspiração para o bioWave, um novo sistema de geração de energia a partir das ondas do mar.

Hoje, a empresa australiana tem como principal demonstração de capacidade um primeiro protótipo de 400 toneladas e 23 metros de comprimento, que tem uma potência de 250 kiloWatts (kW). Na BioPower Systems, há a expectativa de lançar até 2020 um modelo capaz de produzir quatro vezes mais energia que o atual protótipo.

A versão britânica da Wired explica que os novos geradores mantêm-se esvaziam as boias que os sustêm, a fim de se manterem no fundo do mar sempre que as condições climatéricas são ameaçadoras. Quando o mar está calmo, os mesmos reservatórios enchem-se e sobem até à superfície. Esta capacidade para reagir às ondas é inspirada nas grandes algas laminariales (também conhecidas por Kelp).

Os especialistas da BioPower Systems acreditam que podem tirar partido do habitat para aumentarem a eficiência energética e a resistência dos geradores às condições adversas que se registam nos oceanos. «Um dos problemas da produção de energia com as ondas está relacionado com o facto de as estruturas terem sido pensadas para resistir às ondas de força extrema que podem vir a ocorrer, e por isso têm um design que não tem em conta o propósito de gerar energia em condições normais do dia-a-dia», explica Timothy Finnigan, o líder da BioPower Systems, quando inquirido pela Wired britânica.

No vídeo que se encontra inserido nesta página pode descobrir mais detalhes sobre este gerador de energia.

  • 333