exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência

Obrigado, Humanidade: há menos oxigénio nos oceanos

Um dos efeitos colaterais do aquecimento global é a diminuição do oxigénio nos oceanos. Um estudo que analisou dados de mais de 50 anos concluiu que há menos 2% de oxigénio nos mares e mais “zonas mortas”.

  • 333

Exame Informática

Dados da NASA mostram que, nos últimos 50 anos, a temperatura média subiu um grau Celsius. Em igual período, os oceanos perderam 2% de oxigénio. Investigadores alemães publicaram na Nature um estudo baseado em dados como a salinidade, temperatura, profundidade e oxigénio recolhidos ao longo de 50 anos e de várias bases de dados distintas. À medida que a água aquece, perde a capacidade para reter oxigénio. Por outro lado, o aumento das temperaturas leva a que a água à superfície seja menos densa, tornando a ida para baixo mais difícil e deixando de transportar oxigénio fresco para as profundidades.

Em termos mais concretos, os investigadores concluem que os oceanos perderam 80 mil milhões de toneladas de oxigénio, ou cinco petamoles. De acordo com o Gizmodo, o Pacífico norte e o Atlântico Sul são as zonas onde se registam as maiores perdas, mas a quantidade de zonas de oceano sem oxigénio quadruplicou, criando novas zonas mortas.

Vários especialistas em oceanografia alertam que esta perda de 2% pode parecer mínima, mas tem um grande impacto nos ecossistemas marinhos. Além disso, o próprio aquecimento da água e o aumento do CO2 podem ter consequências ainda piores.

  • 333