exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência

Poderá ser este o fim dos reflexos em ecrãs? 

Uma película desenvolvida com base nos olhos não refletivos de traças, promete acabar com grande parte das reflexos causados pela incidência de luz nos ecrãs. Além disto, o projeto pode ainda tornar a superfície à prova de pó e dedadas.

  • 333

Ruben Nascimento Oliveira

As estratégias são variadas. Desde aumentar o brilho ao máximo do ecrã até criar uma barreira com a mão para bloquear alguma da luz que incide sobre o visor dos telemóveis. É preciso melhorar a experiência de visualização sempre que há muita luz no local onde estar a usar o smartphone ou o tablet. Um grupo de cientistas da Universidade Central da Florida, Estados Unidos, está a desenvolver uma tecnologia que tem por objetivo resolver este desafio.

O grupo trabalhou num projeto em que os olhos não refletivos de traças foram inspiração para criar uma nanoestrutura que pode ser impressa na forma de um película para ser implementada em ecrãs. O resultado é uma grande melhoria na nossa experiência de visualização, especialmente em cenários de iluminação desfavorável.

Na imagem acima, dois ecrãs normais (a e b) são comparados com um ecrã que utiliza a película desenvolvida (c), sobre a incidência de uma luz branca. No exemplar que utiliza a nova tecnologia, é notável um aumento tanto na nitidez como na cor da imagem demonstrada graças à redução da luz refletida pela superfície.

O seu projeto promete ainda que além de reduzir a reflexão, os écrans desenvolvidos com base na nanoestrutura podem ser flexíveis e à prova de pó e sujidade causada por dedadas, informa TheNextWeb.

De acordo com o estudo publicado no jornal científico Optica, os investigadores parecem confiantes que este tipo de película encontre «utilizações generalizadas para ecrãs curvos ou maleáveis que necessitem de ser legíveis à luz do sol.»