exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência

Supercomputador no Minho: para cientistas e empresários

A máquina chega à Universidade portuguesa no próximo dia 4 e terá a comunidade científica como principal alvo, mas também poderá ser usada pelo tecido empresarial que queira criar valor através da análise de grandes volumes de dados. E, dentro de dois a três anos, Portugal contará com um novo supercomputador bem mais poderoso

  • 333
Paulo Matos

Paulo Matos

Jornalista

Está, literalmente, a caminho. O supercomputador que vai para a Universidade do Minho tem chegada prevista para 4 de Junho e terá à sua espera uma sala de 200 metros quadrados. Com uma capacidade na ordem de um petaflop e 61600 cores ou núcleos, o equipamento cedido pela Universidade de Austin, no Texas, tem uma capacidade 500 vezes superior ao computador com maior poder de cálculo que atualmente existe em Portugal.

Apesar de inicialmente estar previsto que o supercomputador estivesse pronto a funcionar no primeiro semestre deste ano, atrasos de várias ordens obrigaram a rever este prazo. António Cunha, professor da Universidade do Minho e um dos principais responsáveis por este projeto, garante que tal acontecerá mesmo no segundo semestre e que o processo de instalação será feito por portugueses com o apoio da Universidade de Austin: «O grupo técnico é constituído fundamentalmente por pessoas da universidade do Minho e da FCCN [Fundação para a Computação Científica Nacional]. A instalação do computador tem vários requisitos e talvez os mais complicados sejam os associados à potência elétrica, porque [a máquina] consome muita energia e as soluções de arrefecimento da sala também exigem algum reforço da nossa capacidade de refrigeração».

Este artigo faz parte da Exame Informática Semanal. Para continuar a ler, CARREGUE AQUI (acesso gratuito)