exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência

Cientistas apertam nanocristais para transformar líquido em sólido

Uma equipa do Departamento de Energia dos EUA descobriu uma forma de manipular nanocristais para os fazer portar-se como líquidos, e expandir-se, e como sólidos, e comprimir-se.

  • 333

Exame Informática

A descoberta feita no Lawrence Berkeley National Laboratory, do Departamento de Defesa dos EUA, abre caminho para desenvolver componentes de eletrónica completamente líquidos e para novidades na interação entre células e controlo de funções celulares. Os cientistas colocaram uma gota de um líquido contendo nanocristais de óxido de ferro numa solução oleosa com pequenos elementos de um polímero. De seguida, verificou-se que as nanopartículas tinhama capacidade de se comprimir, portando-se como um sólido, e de se descomprimir e voltar a um estado líquido pela ação de puxar e empurrar competitiva entre o polímero e o aditivo.

«Estamos a olhar para as propriedades mecânicas de um líquido 2D e de um sólido 2D», diz Brett Helms, um dos coordenadores do estudo, à New Scientist. Este método dispensa uma fonte de calor para a alteração do estado do material e introduz um novo componente químico que une a superfície das nanopartículas de uma determinada maneira. É a concentração deste novo componente que permite a manipulação do estado.

Estes cientistas acreditam que esta nova inovação e forma de controlar sistemas completamente líquidos vão ser úteis para interagir com sistemas vivos como células ou bactérias: «essencialmente, temos a capacidade de comunicar com elas – movê-las para onde queremos que vão ou mover eletrões ou iões em direçãoa a elas», disse um dos membros da equipa.

  • iSeaBlind, a bengala tecnológica que auxilia invisuais

    Ciência

    Investigadores do INESC TEC estão a testar uma bengala e um sistema com tecnologia GPS, Wi-Fi, RFID e visão por computador para ajudar os invisuais. A bengala liga-se ao tablet ou ao telemóvel para dar a localização e vibra em caso de deteção de obstáculos.

  • Space Cobot, um assistente de astronauta desenvolvido em Portugal

    Reporter EI

    Estivemos no Instituto de Sistemas e Robótica de Lisboa para ver conhecer o Space Cobot, um robô que voa e que pode estar em microgravidade. Este drone espacial está apto a voar em qualquer direção e pode ajudar a encaminhar comunicações, transportar objetos como ferramentas, captar imagens ou buscar informação. Os próximos passos incluem testes numa mesa com almofadas de ar e ainda uma viagem de avião com várias paragens que replicam cenários sem gravidade. O desafio passa por conseguir o financiamento necessário.

  • Como a Realidade Virtual ajuda na reabilitação física

    Reporter EI

    O VR4Neuropain usa realidade virtual para exercícios de reabilitação física. O projeto foi criado pela Collide em parceria com vários investigadores e o sistema sugere exercícios e tarefas para que os utilizadores consigam debelar lesões ou ultrapassar dores crónicas. No futuro, podem ser desenvolvidos exercícios para recuperação de acidentes vasculares cerebrais. Para já, a solução vai ser testada com um conjunto alargado de pacientes de um centro de reabilitação em Alcoitão.