exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência

Tablet dobrável que parece rolo de papiro foi apresentado no Canadá

Hugo Séneca

  • 333

O protótipo que tem vindo a ser desenvolvido na Universidade de Queen's tem um ecrã de 7,5 polegadas com uma resolução de 2K. Numa próxima versão poderá ter a dimensão de uma caneta

As semelhanças com os rolos de papiro milenares é obvia, mas o MagicScroll não podia ser mais atual. Acaba de ser desenvolvido por investigadores da Universidade de Queen’s, no Canadá, e pretende tornar infinita a funcionalidade das corrediças (que a gíria tornou conhecida como scroll).

O protótipo que tem vindo a ser desenvolvido pela equipa do pioneiro da eletrónica dobrável Roel Vertegaal tem um ecrã de 7,5 polegadas com uma resolução de 2K. O ecrã propriamente dito está enrolado em torno de um cilindro que aloja os diferentes componentes que normalmente se encontram dentro de um tablet. No caso de querer analisar de forma mais demorada ou detalhada algo que aparece no ecrã, o utilizador pode “desenrolar” o ecrã para o usar no formato plano, que se assemelha mais aos ecrãs dos tablets tradicionais.

Os investigadores da Universidade de Queen’s lembram que o design do MagicScroll permitiu criar um dispositivo mais leve e fácil de transportar – mas essa característica não esgota todo o potencial do gadget cilíndrico, que facilmente se transforma num gravador de sons ou assume as funções de telefone quando se encontra enrolado.

O dispositivo criado na Universidade de Queen’s também está equipado com dois atuadores nas extremidades que permitem que o MagicScroll comece a rodopiar ou simplesmente a mover-se, em cenários em que esse tipo de movimentos poderá ser valorizado, para gerar novas formas de interação com os utilizadores. A esta funcionalidade junta-se ainda a possibilidade de controlar o dispositivo através de gestos.

Quando é que estes “rolo de papiro 2.0” surgem no mercado? No comunicado da Universidade de Queen’s, Roel Vertegaal não esconde que o projeto tem um pendor mais académico que comercial, mas não deixa de apontar uma potencial evolução que poderá ajudar a tornar este projeto mais apetecível para as marcas de tecnologias: «Agora, o nosso objetivo é desenhar este dispositivo de forma que possa enrolar-se numa coisa tão pequena quanto uma caneta que pode ser transportada no bolso da camisa».

Pode ver o tablet cilíndrico a funcionar no vídeo inserido nesta página.

  • 333