exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência

Investigadores portugueses ajudam a salvar aves marinhas em Cabo Verde

Investigador com espécie de ave cabo-verdiana

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Em causa está também a produção de conhecimento científico sobre as aves marinhas do arquipélago (sua fenologia, ameaças e distribuição geográfica) e conservação das espécies estando prevista a criação de áreas protegidas

  • 333

Francisco Garcia

Um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) está a estudar nove espécies de aves marinhas cabo-verdianas, que se encontram em risco de extinção. O projeto é liderado pela BirdLife International e recebeu um financiamento de 2,4 milhões de euros da fundação para a conservação da natureza MAVA.

Em causa está também a produção de conhecimento científico sobre as aves marinhas do arquipélago (fenologia, ameaças e destribuição geográfica) e conservação das espécies estando prevista a criação de áreas protegidas. Os investigadores colocaram dispositivos de seguimento (GPS) nalguns indivíduos das espécies estudadas, bem como nalguns barcos de pescadores, de forma a poderem estudar a interação das aves com as comunidades autóctones.

De acordo com Vitor Paiva, coordenador da equipa de investigação, os dispositivos permitem «recolher e analisar detalhadamente informação sobre a distribuição e fenologia das várias espécies, como por exemplo, o tamanho das colónias existentes, a dieta, os locais de reprodução das aves (...) e quais as ameaças que sofrem no mar, concretamente que tipo de interação têm com a pesca, para, por exemplo, perceber se a captura das aves é acidental ou intencional», salientando que «há muito pouco conhecimento sobre as aves marinhas de Cabo Verde e sobre as reais ameaças que enfrentam».

Este estudo procura também detetar radares de grandes embarcações, através da tecnologia GPS, de forma a apurar o impacto da pesca industrial nas espécies estudadas, bem como será dada uma especial atenção à necessidade de prevenir que espécies invasoras coloquem em risco a sobrevivência das espécies locais.

  • 333