exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência

Novos modelos climáticos mostram aquecimento global está pior do que se estimava

Investigadores estão a usar um conjunto de modelos climáticos que recorre a supercomputação para ser mais preciso e concluem que o planeta está a aquecer a um ritmo mais rápido do que se calculava até agora.

  • 333

Exame Informática

O Intergovernamental Panel for Climate Change (IPCC) alerta repetidamente para os perigos de a Terra aquecer mais do que dois graus. Os modelos mais recentes que estão agora a servir de referência apontam para um cenário pior do que estimado, mostrando que as temperaturas podem aumentar até sete graus em 2100.

Estes novos modelos que trazem uma mensagem mais pessimistas são designados por CMIP6 e estão a ser usados em centros de investigação franceses. Olivier Boucher, responsável do Institute Pierre Simon Laplace Climate Modelling Centre, explica que «temos modelos melhores agora, com melhor resolução e que representam as tendências climatéricas com maior precisão», cita o Phys.org.

Os cientistas referem que este método usa poder de processamento de supercomputadores, melhores representações dos sistemas meteorológicos, partículas naturais e criadas por humanos e as alterações que vão sendo sentidas. As projeções das Nações Unidas vão passar a ser feitas com estes novos modelos.

Espera-se que as conclusões sejam integradas no próximo grande relatório do IPCC, em 2021, e que seja pintado um cenário bastante negro sobre o nosso futuro, mesmo que sejamos capazes de cortar bastante nas emissões de CO2. Recorde-se que com o aumento da temperatura em apenas um grau, já sentimos vagas de calor morais, secas, inundações e ciclones tropicais mais destrutivos.

  • 333