exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Hardware

Os robôs estão a ficar com os nossos empregos, mas quem vai pagar a Segurança Social?

Bill Gates é a mais recente voz a chamar a atenção para um dos perigos da crescente automação do trabalho e até avança com possíveis soluções para o problema

  • 333

A revolução robótica que está em curso tem levantado questões sobre o perigo das máquinas roubarem os empregos dos humanos. Um estudo da Universidade de Oxford, realizado em 2013, referia que 50% de todos os empregos seriam substituídos por robôs nos 20 anos seguintes, sendo que agora a Gartner aponta para que até 2025 um terço dos empregos venha a ser desempenhado por robôs ou por inteligência artificial. Estes dados terão inevitáveis consequências no sistema de Segurança Social e o problema torna-se particularmente pertinente se tivermos em conta que a sua sustentabilidade já é discutida hoje em dia.

CLIQUE AQUI para continuar a ler este artigo, que faz parte da Exame Informática Semanal.
(acesso grátis para assinantes e para quem tem a edição mais recente da revista Exame Informática o código de acesso está impresso na página nº3)

  • Lisboa cria seis espaços de teste de robôs. E é apenas o início

    Mercados

    Jardim do Cabeço das Rolas, Aterros de Carnide e Beirolas, Lispólis, Laboratório Nacional de Engenharia Civil e Quartel dos Sapadores Bombeiros de Chelas. O que têm em comum? Ficam todos em Lisboa – e todos vão passar a albergar os primeiros cinco espaços de experimentação do cluster Lisboa Robotics, que foi apresentado sexta-feira por responsáveis da Câmara Municipal de Lisboa.

  • Os segredos do Boro

    Ciência

    Três investigadores portugueses da Universidade de Coimbra confirmaram que é possível criar um dispositivo capaz de detetar materiais radioativos sem recorrer ao Hélio-3. Será uma ferramenta importante para detetar o contrabando de componentes radiotivos

  • Equipa de investigadores portugueses vai tentar mapear o fundo dos oceanos e ganhar um prémio de 4 milhões de dólares

    Ciência

    Chama-se “Shell Ocean Discovery XPrize” e já tem 21 semifinalistas. A competição organizada pela Xprize e patrocinada pela Shell tem como objetivo o mapeamento do fundo oceânico. Uma tarefa hercúlea tendo em conta que essa área imensa é ainda um denso mistério. Nuno Cruz, é o portuguÊs que lidera a equipa da PISCES uma das semifinalistas a esta competição.