exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Hardware

Microsoft baniu Slack e desencoraja uso interno de AWS e Google Docs

A empresa de Redmond proibiu os mais de cem mil funcionários de utilizar algumas versões Slack, por motivos de segurança. Por outro lado, o uso de aplicações dos AWS e Google Docs também é desencorajado.

  • 333

Exame Informática

A recomendação interna da Microsoft é bastante clara: «As versões Slack Free, Slack Standard e Slack Plus não têm os controlos necessários para proteger adequadamente a propriedade intelectual da Microsoft». Assim, os utilizadores destas soluções devem migrar o histórico de chat e ficheiros relacionados com temas Microsoft para a solução Teams, que «oferece as mesmas funcionalidades, integra com as apps Office 365 e tem capacidades de fazer chamadas e reuniões», continua o texto, detetado pelo GeekWire. A empresa reconhece que o Slack Enterprise Grid cumpre os padrões de segurança exigidos em Redmond e que pode continuar a ser usada, embora seja aconselhado «o uso do Microsoft Teams em vez de um software rival».

Para usarem os AWS, da Amazon, ou os Google Docs, os funcionários são convidados a apresentar uma razão de negócio válida. Mesmo o GitHub, detido pela Microsoft, está na lista de programas “não recomendados”. A Grammarly, uma app de verificação de gramática e que pode monitorizar cada toque no teclado, é igualmente proibida nos escritórios, quer a versão completa, quer os add-ins do browser, por conseguirem acesso aos conteúdos dos emails e documentos.

A lista de proibições e de “não recomendações” faz sentido, mas os funcionários podem precisar de usar software rival para o conhecer melhor, perceber o que se faz no mercado e esses argumentos podem ser usados como necessidade de negócio.

  • 333