exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Internet

Tribunal manda bloquear site da Uber em Portugal

Os operadores de telecomunicações receberam notificações do Tribunal de Lisboa para procederem ao bloqueio do site da Uber a partir de Portugal. O site está bloqueado, mas a app não.

  • 333

Hugo Séneca

O bloqueio ao site da Uber está em vias de se concretizar na totalidade em Portugal. Numa única frase, a Nos confirmou hoje que «cumpriu escrupulosamente as instruções do tribunal para bloquear o site da Uber». 

A operadora responde assim às primeiras queixas de clientes que começaram a proliferar na Internet, durante o dia de ontem, e que garantiam não conseguir aceder ao site da Uber. Também a PT e a Vodafone confirmam que já receberam a notificação para proceder ao bloqueio do site. O que permite deduzir que, nas próximas horas ou dias, os clientes da Meo e da Vodafone serão impedidos de aceder ao www.uber.com.

O bloqueio do endereço Uber.com foi aplicado na sequência da providência cautelar que a associação de centrais de táxis ANTRAL fez valer junto do Tribunal de Lisboa no final de abril. A Uber já confirmou que foi alvo desse bloqueio, mas também reitera que a ordem do tribunal não dita o fim das operações da empresa em Portugal. Até porque a app da Uber continua a funcionar - mesmo em telemóveis ligados a redes que já procederam ao bloqueio. O que poderá reduzir os efeitos práticos do bloqueio solicitado pela justiça Portuguesa (os internautas não podem visitar o site... mas aparentemente podem usar a app para reservar um carro da Uber). 

A Exame Informática apurou ainda que os operadores de telecomunicações não têm meios técnicos que permitam bloquear uma app como a da Uber, uma vez que os dados veiculados entre utilizador e estas pequenas aplicações de telemóveis surgem como tráfego indiscriminado, cujo destino não é possível identificar. 

Nos bastidores das tecnologias, há quem garanta que a providência cautelar não bloqueou a app, mas terá logrado bloquear os pagamentos efetuados dentro dessa app. Instada a responder pela Exame Informática, a Uber apenas garante que a app está a funcionar na plenitude.

«A aplicação Uber e a sua capacidade de ligar utilizadores a uma viagem segura e conveniente não estará afetada nas cidades de Lisboa e do Porto. A Uber lamenta o inconveniente e espera uma decisão judicial tão brevemente quanto possível de forma a servir os seus parceiros e utilizadores em Portugal da melhor forma»

Tudo leva a crer que o braço de ferro entre ANTRAL e Uber está para durar: num primeiro momento, a ANTRAL conseguiu impôr uma providência cautelar que levou à suspensão de operações da Uber em Portugal, mas pouco depois, a Uber garantiu ter conseguido levantar esta suspensão e reiterou continuar operacional em Lisboa e no Porto. 

Antes de se conhecer o bloqueio de que agora está a ser alvo, a Uber garantiu que a providência cautelar solicitada pela ANTRAL apenas incidia sobre a Uber americana e não sobre a Uber portuguesa. Nessa altura a Uber alegou que não tinha sido ouvida antes de o juíz aplicar a suspensão do serviço.

 

  • 333