exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Internet

Investigadores do Inesc Tec criam rede social para doentes de cancro

FalarSobreCancro.org pretende fomentar a troca de experiências e a disseminação de informação acessível para doentes com cancro.

  • 333

São mais de 400 pessoas - e todas elas são membros daquela que será, provavelmente, a primeira rede social portuguesa que tem o cancro por temática. A nova rede social tem vindo a ser desenvolvida por investigadores do Inesc Tec com o apoio do Instituto Português de Oncologia do Porto. Atualmente, há 400 membros inscritos nesta rede social que pretende promover a partilha de experiências e informação junto de doentes e familiares de doentes.

O uso da rede FalarSobreCancro.org é gratuito e apenas exige o registo do utilizador. Além dos tradicionais posts, o endereço conta ainda com algumas funcionalidades que poderão facilitar o dia a dia de doentes e profissionais de saúde: «A rede FalarSobreCancro.org apresenta ainda o “Boletim Clínico” gerido apenas pelo IPO-Porto e que integra conteúdos clínicos e científicos que só podem ser publicados por profissionais de saúde devidamente habilitados e cujo objetivo é exclusivamente informativo e educativo», refere um comunicado do Inesc Tec.

A nova rede social foi desenvolvida na sequência de uma tese de doutoramento de Nuno Martins, sobre o uso das ferramentas online no que toca à informação relativa à luta contra o cancro que é disponibilizada aos cidadãos. A rede social, cujo desenvolvimento contou com a ajuda de Rui Oliveira, já mereceu os primeiros elogios entre os especialistas da área oncologia e psiquiatria.

«Nesta rede social, através do Boletim Clínico, prestamos informações científicas numa linguagem acessível a todos. Estabelecemos assim mais um canal de comunicação com a comunidade oncológica, acompanhando a evolução da comunicação digital. Reforçamos a nossa prática de disponibilidade e transparência junto do nosso público e contribuímos para uma população cada vez mais esclarecida», refere Laranja Pontes, presidente do IPO-Porto, citado no comunicado do Inesc Tec.

  • 333