exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Internet

Opinião: Viagem a um futuro próximo (do setor financeiro)

No dia da Segurança na Internet, o diretor geral do ComparaJá.pt, faz uma viagem ao futuro e perspetiva como vai ser a evolução do setor financeiro com a entrada massiva da Tecnologia nessa área. Sérgio Pereira usa como exemplo o caso pessoal de um utilizador que pode ser qualquer um de nós.

  • 333

Exame Informática

Sérgio Pereira, diretor geral do Comparajá.pt

Sérgio Pereira, diretor geral do Comparajá.pt

Autor: Sérgio Pereira

Cargo: Diretor Geral do Comparaja.pt

Especular sobre o futuro é sempre um exercício que, para além de arriscado, regra geral resulta em “tiros” completamente ao lado.

Porque a cada dia que passa somos surpreendidos por novas inovações a nível tecnológico, para antecipar um pouco de como será o nosso quotidiano dentro de alguns anos o melhor a fazer é mesmo tentar aplicar as últimas novidades a setores com necessidades prementes de adoção de novas formas de interação com os consumidores.

Partindo da história do “João”, vamos tentar descortinar como poderá o setor Financeiro (um dos que mais precisa de evoluir) aplicar tecnologias disruptivas para facilitar a vida de todos nós.

Lisboa, 08 de Fevereiro de 2021 – 06h22

João acorda sobressaltado. Está a suar e o seu coração bate a grande velocidade.

Tinha tido um pesadelo cujo final o perturbou: após perder todo o seu dinheiro em apostas online, acabava a viver na rua abandonado pela sua família. Apesar de não ser supersticioso, decide, pelo sim pelo não, verificar a sua conta.

Ativa o tablet com a impressão digital, abre as apps dos seus Bancos e faz o login através de leitura da sua retina.

Verificando que estava tudo em ordem, para se assegurar de que o futuro lhe continua a sorrir financeiramente, João decide procurar investimentos de baixo risco para aplicar parte do seu dinheiro.

Depois de consultar algumas plataformas de comparação online, decide investir em depósitos a prazo. Por acaso, a opção a seis meses mais interessante no mercado naquele momento é disponibilizada por um dos Banco de que é cliente. Coloca uma nota para procurar nova oferta antes do prazo acabar.

Volta então à app do Crypto Bank e, após selecionar o produto que pretende, solicita a transferência de um terço das suas BitCoins através da leitura da impressão digital e do scan da sua retina. Ele sabe que, caso coloque o dedo indicador ao invés do dedo médio, o seu banco ficará imediatamente alerta para o risco de estar a ser vítima de extorsão ou alguma situação similar.

Lisboa, 08 de Fevereiro de 2021 – 07h37

Sentindo que já não conseguiria adormecer, João aproveita para ir mais cedo para o escritório da incubadora de startups de FinTech onde, desde Novembro, assume as pastas de desenvolvimento de negócio e expansão internacional.

Mal entra no seu novo carro, ativa o Seguro Automóvel do tipo "pay as you go" para aquele modelo em particular e para o seu perfil de condutor. Isto tudo através do computador de bordo do desportivo elétrico desenvolvido pela Google que, para além de vir equipado com sistema de ligação à internet, conta ainda com uma tecnologia de rastreamento ocular que permite detetar qual o instrumento do painel para onde o condutor está a olhar e expandi-lo ou ativá-lo.

Porque ao sair de casa mais cedo consegue evitar as caóticas ruas da cidade – toda a gente sabe que Lisboa fica impossível à hora de ponta -, o custo irá ficar abaixo do habitual visto o risco de acontecer um acidente ser mais reduzido.

Pelo caminho, passa no drive-in da padaria onde é cliente habitual e apanha o pequeno-almoço que havia encomendado online antes de sair de casa. Para pagar, passa o telemóvel junto à caixa de pagamento. Num instante fica confirmada a transação e o João recebe uma notificação: «Já consumiu 9 cafés. O próximo será oferta da casa».

Lisboa, 08 de Fevereiro de 2021 – 08h05

Enquanto dá seguimento aos emails pendentes, o jovem dá-se conta de uma notificação que havia recebido no dia anterior e que, sem se ter apercebido, havia ignorado.

Apressou-se a ler e o conteúdo não poderia ser mais positivo para alguém com tanta ambição como o protagonista desta história: no início dessa manhã ser-lhe-ia transferido o seu primeiro prémio trimestral. Como tinha superado os objetivos delineados para aquele período, o valor seria bastante interessante.

Ainda com o pesadelo a ecoar na sua mente, decide investir esse dinheiro, desta feita em soluções com perfis de risco completamente diferentes.

Entra então na sua conta de empréstimos peer-to-peer na plataforma Zopa (mas também poderia ser na Prosper ou no Lending Club) onde pode emprestar dinheiro a pessoas diretamente em qualquer parte do mundo.

Decide distribuir o dinheiro aleatoriamente, com apenas o máximo de 2% investido em cada perfil. Isto porque o retorno é muito mais interessante do que o oferecido diretamente pelas instituições bancárias.

Procura depois fundos de investimento online no sector da saúde, área onde julga que terá melhor rendimento nos próximos 12 meses.

Porque o seu outro Banco tem parceria com o fundo que escolheu, consegue fazer uma subscrição diretamente, não tendo quaisquer custos adicionais (os fundos pagam uma pequena comissão aos bancos por cada novo cliente).

A subscrição, uma vez mais, é feita através da app do seu banco. Após uma rápida leitura da sua impressão digital em conjunto com o scan à sua retina, a operação fica confirmada.

Alertado pela transação, o gestor de conta do João faz uma rápida chamada de vídeo para confirmar a operação e, simultaneamente, oferece-lhe mais duas vantajosas soluções customizadas, as quais foram automaticamente geradas pelo sistema bancário mediante as suas últimas atividades.

Lisboa, 08 de Fevereiro de 2021 – 14h40

Depois de um almoço tranquilo na companhia do seu amigo Peter - que estava de passagem por Lisboa antes de rumar à Somália numa ação humanitária -, João regressa ao escritório inspirado para fazer algo positivo em prol da sociedade.

Pesquisa online um projeto perto da sua zona de residência que lhe permita, para além de contribuir monetariamente, estar diretamente envolvido na sua implementação. Numa rápida pesquisa, encontra uma iniciativa que pretende transformar um antigo centro de saúde num orfanato com o objetivo de acolher 35 crianças.

Porque necessitam urgentemente de ajuda financeira, João faz de imediato uma transferência de 250€ a partir da sua conta no Tandem, o seu banco puramente digital que, a par do Atom, chegou ao mercado português com o objetivo de “destronar” os grandes players da Banca tradicional. Atendendo a que já detêm mais de 50% de quota de mercado junto dos jovens com menos de 25 anos, João acredita que objetivo será rapidamente cumprido.

Imbuído de espírito solidário, o jovem aproveita também para indicar aos responsáveis pelo projeto a sua disponibilidade para ajudar já no próximo fim-de-semana na reabilitação do edifício. Sendo a pintura um dos seus hobbies, realça que podia pintar as paredes das salas comuns com os mais variados temas para dar mais "alegria" à casa.

A resposta não tardou a chegar. Um entusiástico agradecimento confirmava a necessidade de mão-de-obra para as obras que ainda decorriam.

Quando se preparava para sair da internet, surge-lhe um anúncio personalizado que lhe oferecia um crédito de habitação muito atrativo. Como obteve o financiamento já há 4 anos no mBank - o banco de origem polaca que permite aprovações de empréstimo em 30 segundos e acompanhamento através de Skype - e houve bastantes alterações no mercado, consegue trocar de financiador e poupar de imediato 67€ por mês. Como já é tarde, coloca uma nota para dar seguimento ao tema no final do dia.

Lisboa, 08 de Fevereiro de 2021 – 18h59

João recebe uma notificação simultânea no computador e no telemóvel: é hora de ir ao ginásio.

Na verdade, o valor do seu seguro de saúde aumentará caso não assegure alguma atividade física ao longo do mês, algo controlado através do seu smartwatch, o qual mede a sua pulsação 24/7.

Antes de sair, o João acede ainda à app do Sono. Verifica que, de facto, a noite passada foi atribulada: para além de ter a respiração menos constante, ressonou imenso. Porque já lhe havia acontecido o mesmo na semana anterior, decide entrar na app da sua seguradora e verificar qual a clínica com protocolo firmado mais próxima do seu trabalho. Agenda uma consulta diretamente através da app para o dia seguinte à hora de almoço.

Lisboa, 08 de Fevereiro de 2021 – 20h10

Quando sai do ginásio, o João dá-se conta de que constavam duas notificações na app do seu fornecedor de internet e televisão.

A primeira informava-o de que estava a utilizar muito a internet nos últimos meses, pelo que sugeriam optar por um pacote com mais dados. Atendendo aos extras que estava a pagar por ultrapassar os limites pré-definidos, iria poupar entre 9€ a 12€ por mês.

A segunda avisava-o de que iria estrear dentro de dois dias uma série que, de acordo com as suas preferências de anteriores, deveria ser do seu interesse. No entanto, estava apenas disponível num canal premium. Para que o João possa atestar se realmente gosta da série, oferecem-lhe o primeiro gratuitamente. Em troca pedem a sua opinião acerca dos episódios que viu.

Chega assim ao fim a narração desta pequena história que nos ajuda a pensar como a tecnologia pode (e cada vez mais vai) funcionar como uma força motriz na nossa vida profissional e pessoal.

É certo que todas as inovações vêm colocar em causa muitas questões, nomeadamente a nível de segurança. Mas a segurança não deve ser um impedimento à evolução tecnológica, muito pelo contrário. A segurança no mundo digital só se desenvolverá se surgirem novas aplicações tecnológicas que assim o exijam.

Tendo precisamente este pressuposto em mente, todos os dias várias as empresas emergentes na área da FinTech apresentam ao mundo novas formas de satisfazer os consumidores. Resta agora às grandes instituições financeiras (e não só) procurar acompanhar esta (r)evolução. Na verdade, só assim poderão ser bem sucedidas num futuro que não fica assim tão distante (prova disso é que todas as plataformas e aplicações descritas na história do João já existem).

  • 333