exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Internet

MaisCarrinho: vem aí um comparador de preços para supermercados

A plataforma está em fase de testes, mas já se encontra disponível ao público. O lançamento oficial deverá ocorrer em Julho e a poupança média pode chegar aos 40%.

  • 333

Paulo Matos

Está a fazer a lista de compras e, no final, hesita: em qual dos supermercados ficará mais barato comprar estes produtos? O MaisCarrinho pretende oferecer a solução para esta dúvida, pois é um comparador de preços entre supermercados, contando com informação sobre preços e promoções do Continente, Intermarché, Lidl, Pingo Doce e Jumbo.

José Silva, Technical Lead do MaisCarrinho, explica à Exame Informática que a ideia para este projeto surgiu «da lacuna do mercado português em não existir um comparador de preços de produtos de grande consumo à semelhança do que já existe lá fora». Na prática, o site conta com um carrinho virtual, onde se podem colocar os produtos escolhidos e, assim, comparar o cabaz final para decidir a próxima compra. De acordo com o responsável, num cabaz de cerca de 30 produtos diversos, a poupança média pode chegar aos 40%.

Contudo, há que salientar que o MaisCarrinho ainda está em fase de testes – está disponível uma versão beta para o público, com o intuito de recolher o feedback dos utilizadores. O lançamento oficial da plataforma está previsto para Julho, sendo que a totalidade das funcionalidades só serão disponibilizadas a utilizadores registados.

Para já, o site funciona apenas como uma lista para comparação do preço do cabaz nos vários fornecedores, não contando com uma plataforma de e-commerce. Mas José Silva não fecha essa porta e admite que tal pode vir a mudar no futuro, seguindo os passos do que já se faz em Espanha e Inglaterra, por exemplo.

Dar dinheiro a ganhar e ganhar dinheiro

No que diz respeito à vertente de negócio, o MaisCarrinho é uma sociedade anónima por quotas, composta por quatro sócios. Contudo, encontra-se de momento a negociar a entrada de um «investidor de peso» que terá uma participação substancial, sendo que José Silva não pode, nesta fase, revelar mais detalhes.

Com mais de um ano de investimento ao nível do desenvolvimento técnico, os responsáveis do MaisCarrinho sabem como querem monetizar o projeto. José Silva salienta que identificaram oito formas de o fazer, mas adianta que «o segredo é a alma do negócio». Porém, refere algumas hipóteses: «Podemos falar das formas mais populares como a publicidade; os mecanismos de pay per click para redirecionamento para os sites dos retalhistas, permitindo aos utilizadores fazer, por exemplo, a compra online nos respetivos sites; os mecanismos de destaques de determinados produtos; a negociação com as marcas para que o resultado da pesquisa possa promover um dado produto; etc.»

Assim, como José Silva reconhece, o sucesso da plataforma estará dependente da sua capacidade de tração – seja em número de utilizadores ou em número de visitas –, pois isso «vai despertar o interesse das marcas, dos retalhistas e de outros players nos modelos de monetização que estamos a pensar para o MaisCarrinho». Mas o site já começou a despertar a atenção de outras plataformas, como o KuantoKusta, por exemplo. «O contacto que recebemos do KuantoKusta visou conhecer um pouco melhor a equipa do MaisCarrinho, tentar perceber a forma como operamos e dar-nos as boas vindas ao mercado», revela o responsável.

Contudo, «acreditamos que tecnologicamente o MaisCarrinho é uma outra geração de comparador de preços, mais evoluído e não dependente de alguns constrangimentos negociais e de informação fornecida de forma muito tradicional com os diversos fornecedores», salienta José Silva. E acrescenta: «Trata-se de um outro patamar, com outro tipo de exigências e ruturas dos modelos clássicos, quer ao nível técnico, quer ao nível do de negócio.»