exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Internet

Num ano, o governo chinês publicou 488 milhões de posts falsos

Investigadores da Universidade de Harvard estimaram o número de posts colocados nas redes sociais com o propósito de elogiar o governo de Pequim. E foi assim que chegaram ao alegado Partido dos Cinquenta Cêntimos.

  • 333

Hugo Séneca

Mark Schiefelbein

São mais de 488 milhões de posts contabilizados num único ano em redes sociais. E todos eles com duas características em comum: o elogio explícito ou tácito do governo chinês; e a ausência de resposta a posts de internautas que os contrariam. Estas duas características ajudaram os investigadores da Universidade de Harvard a chegar uma conclusão: todos aqueles posts terão sido forjados a mando das autoridades de Pequim e de grupos de apoiantes que pretendem influenciar a opinião pública.

O estudo liderado pelo investigador Gary King aponta para um dos motivos que, alegadamente, leva os os autores dos posts a não enveredarem por uma defesa acérrima quando confrontados com argumentos contrários: «Deixar que um argumento morra, ou mudar de tema, geralmente funciona bem melhor que escolher um argumento e garantir o apoio de outras pessoas».

Há mais uma razão para que o governo chinês alegadamente aposte nos posts forjados: a censura produz um impacto mais negativo na opinião pública.

Na China, corre o rumor de que estes posts poderão ter sido pagos pelo governo chinês. É devido a esse boato sobre o eventual soldo que há quem fale da existência de um Partido dos Cinquenta Cêntimos, numa alusão ao alegado valor pago a quem aceita escrever textos laudatórios do governo nas redes sociais.

O boato poderá ter algum fundamento: os investigadores da Universidade de Harvard chegaram à estimativa de 488 milhões de posts forjados depois de terem acesso a uma folha de cálculo que discriminava nomes e pseudónimos de pessoas que elogiavam o governo nas redes sociais.

  • 333