exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Internet

Belgas andam a caçar livros em vez de Pokémon

O jogo já cativou dezenas de milhares de belgas e recorre a um grupo do Facebook, mantendo a mesma ideia base do Pokémon Go: andar ao ar livre para caçar itens.

  • 333
Paulo Matos

Paulo Matos

Jornalista

Aveline Gregoire, reitor de uma escola na Bélgica, aproveitou a onda de sucesso do Pokémon Go para criar um jogo que segue alguns dos mesmos princípios e aplica-os a livros. De acordo com a Reuters, o “Chasseurs de Livres” (que pode ser traduzido por “caçadores de livros”) já atraiu dezenas de milhares de jogadores em semanas.

Enquanto o Pokémon Go tira proveito do GPS e câmara do smartphone para encontrar as criaturas que se encontram nas redondezas, o “Chasseurs de Livres” é jogado com recurso a um grupo do Facebook que já tem mais de 45 mil membros. O jogador publica fotografias de um livro e fornece pistas sobre onde está escondido, desafiando outros a encontrá-lo. Depois de descobrir o livro, o jovem pode lê-lo e voltar a ‘escondê-lo’ para que outros repitam o processo.

O género dos livros é muito variado – vai dos infantis a clássicos de terror, por exemplo – e as obras literárias devem ser envoltas num plástico transparente para protegê-las da chuva.

Em declarações à Reuters, Aveline Gregoire revela que a ideia do jogo surgiu depois de jogar Pokémon Go com os filhos e de constatar que já não tinha espaço para arrumar todos os livros que possuía. A fusão dos dois factos deu origem ao “Chasseurs de Livres” e o próximo passo deverá ser a criação de uma app para o jogo.