Cópia privada: proposto teto máximo de 6% do preço dos equipamentos eletrónicos

Hugo Séneca
13/02/2012 16:53
DR A Assembleia da República está a debater o projeto de lei da cópia privada

A bancada parlamentar do PS reviu as alterações ao projeto de lei da cópia privada e propôs a introdução de um teto máximo à aplicação de taxas.

Terminadas as audições na Comissão Parlamentar da Educação, Ciência e Cultura, eis que a bancada parlamentar do PS acaba de propor alterações ao projeto de lei 118/XII que prevê a aplicação de taxas aos equipamentos eletrónicos, para efeitos de compensação dos autores pelas cópias privadas de livros, música ou software.

As alterações propostas preveem a aplicação de uma taxa que não deverá superar 6% do preço dos equipamentos eletrónicos antes do IVA. Segundo a Lusa, as alterações propostas pela deputada e ex-ministra da cultura Gabriela Canavilhas preveem isentar de qualquer taxa os cartões de memória usados pelas máquinas fotográficas.

Caso as alterações agora apresentadas sejam aprovadas na Assembleia da República, o Governo passará a atualizar todos os anos, ou a cada par de anos, as taxas a aplicar a cada equipamento eletrónico.

Gabriela Canavilhas estima que as taxas possam valer entre cinco e seis milhões de euros anuais para autores, produtores e intérpretes de obras que são copiadas para uso privado dos consumidores. Os montantes referentes às taxas de compensação são distribuídos pela Associação para a Gestão da Cópia Privada (AGECOP) pelos vários intervenientes na indústria.

Atualmente, as taxas de compensação da cópia privada são aplicadas a alguns discos e leitores de CD. Em 2011, a AGECOP recolheu e distribuiu cerca de 1,8 milhões de euros.

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Em destaque neste programa: reportagem sobre os Micro Dinos da Science4You e uma análise ao TomTom Multisport Cardio. Veja ainda uma dica sobre apps para tirar mais partido de redes sociais.

Experimentamos o sistema LiveOn TV da Vodafone, um serviço de partilha de vídeo em tempo real de um smartphone ou tablet para a televisão da sala.

Testamos o sistema Garmin Vivofit, uma pulseira pequena, leve e confortável e com um ecrã que fica ligado até um ano. 

Fomos correr com o TomTom Multi-Sport Cardio e gostamos do sensor que mede as pulsações cardíacas através da emissão de um feixe de luz que atravessa a pele.  

Estivemos no Intel Developer Forum e mostramos os planos para termos computadores livres de cabos: conhecemos o WiDi e o Wireless Power para ligar portáteis e tablets a ecrãs e carregar baterias sem fios. 

A Não perder

Os smartwatches chegaram em força! Mas para que servem e quais são os que mercem lugar no nosso pulso? As respostas nesta edição.

EI Tv

Em destaque neste programa: reportagem sobre os Micro Dinos da Science4You e uma análise ao TomTom Multisport Cardio. Veja ainda uma dica sobre apps para tirar mais partido de redes sociais.

Em destaque neste programa: reportagem sobre o SkyOrbiter, um satélite atmosférico feito em Portugal e outra com a Intel nos EUA. Testamos ainda o Asus ZenBook NX500.

Em destaque neste programa: reportagem sobre o drone Ar4 da Tekever e análises ao BQ Aquaris E5 FHD, ao smartwatch Mykronoz da ZeSplash e ao Huawei Ascend Mate 7.

 

No Japão, um homem foi condenado a dois anos de prisão por ter impresso em 3D seis revólveres.

X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .