exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Estudante de 15 anos propõe luz alimentada a calor corporal

O projeto de Ann Makosinski vai concorrer na Google Science Fair este mês e pode render-he até 50 mil dólares. A estudante de 15 anos criou uma lanterna que não precisa de bateria e que é alimentada a calor corporal.

  • 333

Ann Makosinski

A energia é recolhida para painéis Peltier que a acumulam e convertem em luz. Uma carga típica permite manter a lanterna em funcionamento durante 20 minutos, sem ser precisa qualquer bateria. Aliás, esta é uma das principais razões que inspiraram a estudante: deixarem de ser necessárias as baterias que deixam vestígios químicos altamente poluentes, noticia o Mashable.

Os painéis Peltier produzem eletricidade se os aquecermos de um lado e conseguirmos manter o outro lado frio, que foi o que Ann fez para este projeto. Quanto maior a diferença nas temperaturas, mais energia é produzida. Uma diferença de cinco graus permite manter o sistema a funcionar.

A solução já está a ser analisada por algumas empresas, que já entraram em contacto com os pais de Ann e que podem começar a comercializar produtos baseados neste sistema.

O projeto de Makosinski está a concurso da Google Science Fair, onde o primeiro prémio é de 50 mil dólares e uma viagem às Ilhas Galápagos.

  • 333