exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Criador do DSL morreu

Joseph W. Lechleider morreu aos 82 anos. Entrou para a história pelo desenvolvimento de uma solução simples que permitia reduzir as interferências geradas pela transmissão de dados em linhas telefónicas.

  • 333

DSL: Digital Subscriber Line. Em Portugal e muitos outros países, a tecnologia ficou conhecida por questões geracionais como ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line), mas no final o resultado era mais ou menos o mesmo: Internet de banda larga (geralmente acima dos 2 Mbps) sobre as redes de cobre do telefone para milhões de pessoas. 

Na origem desta aceleração da Internet esteve o trabalho de Joseph W. Lechleider durante a década de 1980, nos laboratórios da Bell. Passadas três décadas, o homem que deu aos operadores de telefone as ferramentas necessárias para competirem de igual para igual com operadoras de cabo, voltou a ser notícia. Desta feita, por motivos menos felizes: o cientista que alcançou um lugar no Muro da Fama dos Inventores dos EUA morreu aos 82 anos de idade. A morte ocorreu a 18 de abril, mas só ontem foi noticiada pelo New York Times.

Para a história fica não só o nome de Joseph W. Lechleider, como também a forma como superou as limitações do cobre através da tecnologia DSL:  depois de décadas de estudo dedicado ao processamento de sinal, o investigador da Bellcore descobriu que as interferências elétricas geradas pelas comunicações de pacotes de dados poderiam ser reduzidas substancialmente, caso a velocidade de download superasse a velocidade de upload. E foi devido a essa assimetria viria a ser popularizada a sigla ADSL. A mesma que tornou a Internet uma solução agradável para milhões de pessoas. 

  • 333