exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Autoridades francesas não gostam de teclados AZERTY

O Ministério da Cultura e da Comunicação de França considera que a disposição AZERTY torna difícil escrever em francês de forma correta e já encomendou um estudo para ser criado um design melhor.

  • 333

As autoridades responsáveis em França identificaram várias falhas nos teclados AZERTY, usados maioritariamente naquele país, que tornam difícil a tarefa de escrever em francês de forma correta. O teclado “francês” contempla, além das 26 letras do alfabeto, caracteres acentuados como é, à, è e ù. O Ministério identificou que os caracteres @ e € estão inconvenientemente dispostos, trazendo dificuldades acrescidas, explica o ArsTechnica. Outra dificuldade identificada é a forma como se consegue capitalizar as letras acentuadas, na medida em que em muitos textos legais e do governo os nomes das empresas e de particulares são escritos em maiúsculas.

As autoridades reconhecem que as funcionalidades de auto-correção por software podem ajudar a minimizar o impacto das dificuldades que o hardware proporciona, mas admitem que já há cidadãos que pensam que é correto não colocar acentos em palavras escritas em maiúsculas.

O próximo passo é encomendar ao organismo responsável por standards em França, a AFNOR, de Association Française de Normalisation, um estudo que identifique uma melhor disposição para os teclados em francês.

  • 333