exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Phishing: PJ detém quatro mulheres

Quatro mulheres, com idades compreendidas entre os 22 e os 27 anos, foram detidas pela PJ devido à suspeita de participação num grupo de crime organizado internacional, que se dedicava ao desfalque de contas bancárias através de processos de phishing

  • 333

Hugo Séneca

A Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo da Polícia Judiciária (PJ) deteve quatro mulheres que atuavam integradas num grupo criminoso «que se dedicava à prática de crimes de burla informática, acesso ilegítimo e branqueamento de capitais». Um comunicado da PJ revela que as quatro mulheres, de idades compreendidas entre os 22 e os 27 anos, foram detidas no âmbito de uma operação à escala internacional que visou o desmantelamento de uma rede de criminosos que recorriam a métodos de phishing e procediam à lavagem do dinheiro obtido nas contas bancárias das vítimas.
«Os valores assim obtidos ascenderam a centenas de milhares de euros e a organização procedia ao seu posterior branqueamento por diversas formas de dissimulação», informa a PJ.

A Judiciária lembra ainda que terá logrado identificar líderes, angariadores e as denominadas "money mules", que têm como principal missão depositar ou encaminhar o dinheiro para pontos que permitam dissimular a origem.

A PJ não refere quais as funções que as quatro mulheres agora detidas executavam dentro deste grupo de phishimg.

«A Polícia Judiciária prossegue as investigações, no sentido de apurar a natureza e a extensão das conexões delituosos deste grupo, continuando a acompanhar casos concretos de fenómenos criminais semelhantes», refere a PJ.

Os investigadores lembram que, apesar dos mecanismos de segurança implementados pelos bancos, os consumidores deverão tomar algumas precauções. Prestar atenção aos avisos de fraude lançados pelos bancos; não inserir em páginas da Internet os dígitos do “cartão matriz”; não disponibilizar a terceiros a conta bancária para depósito de dinheiro de origem desconhecida; não aceitar propostas de trabalho para empregos que têm como única função ceder a conta bancária para o depósito de dinheiro.

  • 333