exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

O futuro é dos chatbots, diz Zuckerberg

O criador do Facebook antevê que os call centers como os conhecemos vão acabar e que o futuro pertence aos chatbots.

  • 333
Mark Zuckerberg duplicou a sua fortuna pessoal. Tem agora 28,5 mil milhões de dólares e subiu do nono para o sexto lugar.

Mark Zuckerberg duplicou a sua fortuna pessoal. Tem agora 28,5 mil milhões de dólares e subiu do nono para o sexto lugar.

Os chatbots já existem há alguns anos, mas só recentemente passaram a ser uma grande tendência do setor tecnológico: estes programas ajudam os clientes a comunicar com empresas e serviços de apoio ao cliente e ainda podem ajudar nos processos de compras online.

O Facebook anunciou que quer abrir o código da app Messenger para os programadores interessados em criar chatbots que se integrem no Messenger. Os primeiros parceiros a mostrar interesse são o Shopify e a CNN, noticia a Reuters.

Os chatbots são programas de software que usam inteligência artificial para executar tarefas simples, como compor um email, agendar férias ou resolver problemas de assistência técnica. Com a integração no Messenger, bastará ao utilizador enviar um pedido por escrito na app para de imediato desencadear esta “assistência virtual”. Nesta fase, o Facebook está a testar o seu próprio bot, o M, que poderá fazer reservas em restaurantes ou encomendar flores.

«Nunca mais terão de ligar para call centers», vaticinou o fundador do Facebook. Com mais de 1,5 mil milhões de utilizadores do Facebook e 900 milhões que usam o Messenger, a dimensão da comunidade da maior rede social é a sua principal vantagem, sendo possível criar chatbots que conseguem moldar o seu discurso e o que apresentam às necessidades e preferências de cada utilizador.

Durante a sua conferência, em São Francisco, Zuckerberg anunciou ainda planos para usar aviões solares não pilotados com uma envergadura superior a um Boeing 797 e um peso menor do que um automóvel para difundir o sinal de Internet nas zonas do globo onde ainda não há Net.