exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Índice Digital Regional: Lisboa a subir e o resto do país a descer

A região Norte passou o Algarve no índice que pretende medir a existência e o uso de infraestruturas e os impactos gerados pelas tecnologias. Região Autónoma da Madeira está na cauda do índice desenvolvido na Universidade do Minho

  • 333

Hugo Séneca

O Índice Digital Regional (IDR) de 2015 acaba de expor as duas velocidades do País perante as tecnologias: Lisboa é a única região que regista uma evolução positiva, aumentando a liderança incontestada sobre o resto do País; e todas as outras regiões, com maior ou menor variação, regrediram no índice que pretende funcionar como referência nacional no que toca ao contexto, às infraestruturas, à utilização e ao impacto das tecnologias, revela um comunicado da Universidade do Minho.

O IDR começou a ser calculado em 2012, depois de uma tese de doutoramento formulada pelo investigador Luís Miguel Ferreira, investigador da Universidade do Minho. Na edição referente a 2015, o IDR revela que a diferença entre a região de Lisboa e as restantes regiões acentuou-se. O estudo levado a cabo pela Universidade do Minho permite mesmo confirmar que Lisboa é hoje um dos motores tecnológicos do País: apesar de todas as regiões terem registado uma regressão, a média nacional relativa ao IDR apresenta um crescimento de 2014 para 2015, devido ao crescimento do IDR da capital. A região de Lisboa garantiu ainda a primeira posição em todos os quatro campos de análise.

«Este ano, com a introdução de novos indicadores, todas as regiões viram o seu desempenho afastar-se ainda mais da região de Lisboa e da média nacional, o que vem acentuar as assimetrias regionais que se verificam na construção da Sociedade da Informação em Portugal, à semelhança do que acontece noutras áreas do desenvolvimento», refere Luís Miguel Ferreira.

As mais recentes estimativas do IDR permitem apurar uma troca de posições entre Algarve (que passou de terceiro para quarto lugar) e Região Norte (que passou do quarto para o terceiro lugar). «A acompanhar a subida da média nacional no resultado final (que se cifrou em 5,1%), apresenta-se apenas a região da AM Lisboa (2,4%). Todas as restantes regiões desceram o seu score entre 2014 e 2015, registando-se a maior queda na região do Algarve (18,3%) e Madeira (9,2%)», descreve o comunicado da Universidade do Minho.

O IDR de Lisboa está estimado em 0,7844; o da região Centro em ,4039; e o do Norte ficou estimado em 0,3801. A média nacional está fixada em 0,5240.

Pode ver dados mais detalhados nas imagens inseridas nesta página.

  • 333