exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Spotify acusa Apple de bloquear atualizações

Andará a Apple a bloquear a Spotify? A Apple diz que é a Spotify que pretende ter um tratamento diferenciado face à concorrência

  • 333

Hugo Séneca

O Spotify é um serviço de streaming. E a Apple tem um serviço de streaming, além de fazer negócios com muitas outras coisas. O que é que a Apple poderia fazer para tramar o Spotify? A versão desta última marca já se tornou pública: a Apple terá bloqueado com propósitos concorrenciais a mais recente atualização da app da Spotify para iPhones e iPads.

«Não podemos ficar parados à espera enquanto a Apple usa o processo de aprovação (de atualizações) da App Store como arma para causar dano junto dos concorrentes», reiterou Horacio Gutierrez, do Conselho Geral da Spotify, numa missiva enviada para os advogados da Apple.

De acordo com o site Recode, o bloqueio da atualização do Spotify estará relacionado com o facto de o serviço de streaming de música ter vindo a promover o uso de versões da app que permitem fazer o pagamento das subscrições fora do iTunes. Atualmente, a App Store cobra 30% dos valores cobrados pelo iTunes. A Spotify optou por transferir esse custo para os consumidores - que passaram a pagar 30% mais no iOS que no Android ou no Windows Phone.

Gutierrez relaciona o bloqueio da atualização com um alegado histórico de abusos de concorrência da Apple com o propósito de beneficiar o serviço Apple Music em detrimento do Spotify. O responsável da Spotify acusa a Apple de tirar partido do controlo que exerce sobre a App Store e o sistema operativo iOS para criar condições desfavoráveis para os concorrentes da Apple Music.

Recentemente, o assessor de imprensa da Spotify já havia dado sinais de desagrado, acusando a Apple de inflacionar preços da concorrência, impor restrições quanto à divulgação de preços mais baixos, ou manipular as diferentes ferramentas que compõem o iOS, para favorecer os serviços da Apple Music.

Bruce Sewell, advogado da Apple, refutou as acusações. E não se coibiu mesmo de dizer que a Apple estaria disposta de enveredar por uma análise expedita da app da Spotify, «desde que nos mostrem algo que seja compatível com as regras da App Store». «Ironicamente, agora é a Spotify que quer que as coisas mudem, exigindo um tratamento preferencial da Apple», acrescentou o causídico.

  • 333