exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Sceelix: portugueses lançam ferramenta de cenários dinâmicos no Steam

Uma empresa portuguesa estreou na plataforma Steam uma ferramenta que permite gerar automaticamente cenários de videojogos. Sceelix é o nome da startup sedeada no UPTEC

  • 333

Há jogos que cansam por serem sempre mais do mesmo – mas seguramente esses jogos não terão sido criados com a ferramenta Sceelix. Com esta ferramenta que tem vindo a ser desenvolvida no centro de aceleração de startups UPTEC, no Porto, torna-se possível criar um jogo cujos cenários mudam automaticamente a cada sessão do utilizador. A mesma ferramenta também pode ser usada para acelerar a produção de cenários e cenas num videojogo. E por isso a expectativa dos criadores da Sceelix não podia ser maior: «Lançámos hoje a Sceelix na Steam, porque sabemos que esta plataforma vende ferramentas para o desenvolvimento de jogos e tem vários produtores de jogos independentes», explica Francisco Rebello de Andrade, líder da Sceelix.

A entrada na Steam pretende funcionar como catapulta comercial para a nova ferramenta que permite automatizar parte do desenho e conceção de cenários, poupando recursos que costumam ser aplicados em tarefas monótonas e repetitivas. Até à data, a ferramenta tem sido distribuída dentro do site da empresa nortenha. «Hoje, a nossa maior barreira é a comunicação, mas não é muito fácil superar essa barreira sozinhos», explica Francisco Rebello de Andrade. Mais de 250 pessoas já descarregaram a Sceelix. «E 25 dessas pessoas que aceitaram pagar as licenças», refere o líder da Sceelix num pequeno balanço sobre as vendas registadas no site da companhia, antes da entrada na plataforma Steam.

A Sceelix começou a ser desenvolvida com base na investigação que Pedro Brandão Silva, um dos fundadores da startup, levou a cabo durante o doutoramento tirado na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Além de admitida no UPTEC, a empresa foi selecionada para participar na iniciativa InRes do programa Carnegie Mellon Portugal.

Até à data tem sido comercializada uma versão beta com um custo fixo de 75 dólares (cerca de 67 euros). Com a passagem da versão beta para uma versão comercial, que deverá ocorrer nos próximos tempos, o negócio poderá evoluir para um modelo de subscrição com custos mensais. Francisco Rebello de Andrade estima que a mensalidade deverá fixar-se nos 40 dólares (cerca de 36 euros).

«Comparando com as ferramentas similares que já existem, não é uma subscrição cara. As outras ferramentas estão muito especializadas em determinados nichos e funções. E chegam a custar mais de 90 dólares (cerca de 80,6 euros)», refere Francisco Rebello de Andrade, quando questionado pela Exame Informática.

No final do mês, deverá ser lançado primeiro jogo que já usa Sceelix para a produção de cenários. O jogo tem o título de Hyper Gods e foi desenvolvido pelo portuense Ground Control Studios. Na Sceelix há a esperança de que muitos outros sigam o exemplo.

  • 333