exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Carro limpo, motorista calado e carregador de telemóveis. Utentes dizem o que querem num táxi

Um inquérito a cinco mil pessoas revela que os táxis poderiam garantir a preferência do consumidores face à Uber ou à Cabify se tomassem algumas medidas simples. Ao contrário do que se possa imaginar, não é pelo custo que os taxistas estão a perder clientes

  • 333

O táxi perfeito pode não existir, mas a acreditar nos cinco mil inquiridos que participaram num estudo realizado pelas consultoras Tangível e Spark2d, os taxistas até nem terão de se esforçar muito se quiserem deixar os consumidores satisfeitos: Um carro limpo, rádio com som reduzido, temperatura amena e tarifas transparentes lideram o top das reivindicações dos clientes dos serviços tradicionais de táxis que participaram no inquérito.

O estudo revela ainda que os utilizadores do Uber e a Cabify já têm uma forma diferente de encarar o serviço de táxi. E por isso apresentam sugestões um pouco mais exigentes para levar os táxis superarem a Uber e a Cabify no índice de satisfação: «carregar o telemóvel durante a viagem; consultar o jornal do dia; receber uma garrafa de água nos dias mais quentes; poder chamar novamente um taxista no futuro» são as principais medidas propostas pelos inquiridos que usam Uber, revela um comunicado conjunto da Tangível e Spark2d.

O mesmo comunicado revela ainda que os clientes de Cabify e Uber «prezam o silêncio do taxista e a forma como se veste. E não compreendem porque devem pagar um suplemento pelo transporte de animais de estimação».

Quem achava que era o preço o principal fator diferenciador entre táxis tradicionais e novas plataformas de transporte que se desengane. Segundo o inquérito agora revelado, o problema dos taxistas não está tanto na bandeirada que cobram, mas antes na imagem que passam: «A perceção da honestidade do condutor e a transparência do serviço são muito mais valorizados pelos passageiros, e neste ponto, aos olhos do cliente, a Uber ganha aos Táxis», revelam os autores do estudo, sugerindo às empresas de táxis que passem a transportar pequenos cartazes com custos e durações médias para os vários percursos e ainda uma explicação para a formulação das tarifas.

O fator tecnológico apenas produz efeito em segmentos etários abaixo dos 45 anos. Para estes inquiridos, as apps de serviços como a Uber são diferenciadoras. Taxímetros interativos que apresentam serviços úteis figuram na lista de inovações apreciadas pelos consumidores.

José Campos, líder da Tangível, acredita que os taxistas poderão estancar os efeitos da concorrência da Uber caso as aspirações dos consumidores não sejam ignoradas. O responsável da Tangível deixa ainda uma crítica ao debate e aos trabalhos em torno da nova legislação na área dos transportes públicos: «Basta ouvir os utentes dos táxis. Por incrível que pareça, ainda não foram tidos nem achados no âmbito das negociações entre o governo e os representantes dos taxistas».

A maioria das respostas foi obtida através de questionários online, revelam as duas consultoras.