exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

TDT: disponibilidade de serviço aproxima-se dos 100%

Os relatórios da Anacom revelam que o sinal de TDT tem cada vez menos falhas. Guarda, Faro e Viana do Castelo distinguem-se pelas melhores razões

  • 333

As medições realizadas pela rede de sondas da Autoridade Nacional das Comunicações (Anacom) revelam que o serviço de Televisão Digital Terrestre (TDT) alcançou uma média próxima dos 100% no que toca à disponibilidade de serviço durante o ano de 2016.

Em comunicado, a Anacom revela ainda que a estabilidade do serviço manteve-se em níveis elevados: «Globalmente, é possível afirmar que nas zonas do país onde o sinal digital de televisão chega por via terrestre, a receção de televisão fez-se de forma quase permanente e sem interrupções».

No que toca aos números agregados registados pelas diferentes sondas que se encontram dispersas pelo território nacional, a Guarda distingue-se por ter o maior tempo de receção de serviço, com 99,96%. Por outro lado, Faro, com 99,95%, e Viana do Castelo com 99,94%, são os distritos que apresentam níveis de disponibilidade do serviço mais elevados.

«Aveiro com 97,06% de disponibilidade, Leiria com 98,56% e Porto com 99,22% foram os distritos com resultados mais baixos. Todos os outros distritos tiveram um desempenho acima da média nacional (99,37%)», acrescenta Anacom.

A Anacom revela ainda mais algumas médias que ajudam a compreender como variaram a estabilidade e a disponibilidade do serviço: o mês de janeiro de 2016 figura como o mês com maior taxa de disponibilidade de serviço, por contraponto com julho que teve a média mais baixa no que toca a este índice. Na estabilidade, dezembro foi o melhor mês e julho o pior.

«Ao longo de todo o ano, a hora em que a rede se apresentou mais estável, com menos variações, para a receção do sinal da TDT, foi a das 12 horas (das 12:00 às 13:00), enquanto a pior hora, ainda que com estabilidade de serviço elevada, foi a da 1 hora (da 1:00 às 2:00)», conclui a reguladora das comunicações.

  • 333