exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Pedidos de patentes vindas de Portugal crescem 8,5%

O top cinco dos pedidos de patentes com origem em Portugal é liderado pela Novadelta-Comércio e Industria de Cafés. A Saronikos Trading and Services, a Bial-Portela e a Universidade do Porto completam os cinco lugares cimeiros.

  • 333

Na UE, os pedidos de registo de patentes desceram 0,6%, mas em Portugal a tendência é bastante diferente: de acordo com o Instituto Europeu de Patentes (IEP), os pedidos de patentes provenientes de Portugal registaram um crescimento de 8,5% em 2016. Durante o ano transato, os portugueses solicitaram 153 patentes. Em 2015, chegaram ao IEP 141 pedidos de patentes vindos de Portugal.

O comunicado do IEP destaca uma nova tendência entre os inovadores portugueses: «O número de patentes europeias concedido a centros de investigação e empresas portuguesas pelo IEP aumentou de 28,3% para 59, sendo o mais elevado nos últimos dez anos».

O top cinco dos pedidos de patentes com origem em Portugal é liderado pela Novadelta-Comércio e Industria de Cafés (12 pedidos de patente). Saronikos Trading and Services (com oito pedidos), a Bial-Portela (com seis) e a Universidade do Porto (com cinco) completam os cinco lugares cimeiros.

Entre os setores com maiores números de pedidos de patentes, figuram o Mobiliário (8%), Indústria farmacêutica (8%) e Cálculo/Medição (7%). Química Orgânica Fina, Transportes, Maquinaria e Dispositivos Elétricos e Energia foram os setores que registaram maior crescimento nos pedidos de patentes durante 2016

Minho e Douro Litoral lideram nas regiões que apresentaram maior número de pedidos de registo de patentes em 2016. Se análise incidir sobre cidades, já será Lisboa a liderar, sendo seguida pelo Porto e por Braga.

Durante 2016, o IEP recebeu 160 mil pedidos de patentes originários da Europa (diminuição de 0,2% quando analisada a evolução dos pedidos emitidos pelos 38 países da Organização Europeia de Patentes). No que toca a pedidos provenientes de fora da Europa, os números são reveladores dos tempos que correm: os pedidos vindos da China e da Coreia subiram 24,8% e 6,5%, respetivamente entre 2015 e 2016; os pedidos originários dos EUA e do Japão caíram 5,9% e 1,9%, respetivamente, quando se compara os dois anos anteriores. EUA, Alemanha, Japão, França e Suíça estão na liderança dos países de origem com maior número de patentes solicitados entre 2016 e 2017.

O presidente do IEP, Benoît Battistelli deixa em comunicado o seguinte comunicado aos números agora apresentados: «Numa conjuntura política e económica em constante mutação, as empresas de todo o mundo mantiveram a sua procura por proteção de patentes na Europa. Apesar de assistirmos a um crescimento impressionante no número de pedidos de registo de patentes com origem na Ásia, as empresas europeias mantêm o papel de líderes na inovação e crescimento no seu mercado de origem, provando a sua resiliência face a condições económicas adversas».

  • 333