exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Fabricante de vibradores condenado por recolher dados sobre a atividade sexual dos utilizadores

Um fabricante vibradores foi condenado a indemnizar os clientes por estar a recolher, sem autorização, dados sobre a utilização dos aparelhos

  • 333

Aconteceu no Canadá. A We-Vibe, um fabricante de brinquedos sexuais, estaria a recolher informações sobre a temperatura e a intensidade de vibração utilizadas quando a usar um “vibrador inteligente”. O We-Vibe 4 Plus é um vibrador com Bluetooth, que pode ser controlado por uma app. A funcionalidade de controlo remoto através da Internet – o aparelho foi criado para permitir “relações sexuais” à distância – terá sido usada pelo fabricante para recolher dados sem autorização dos utilizadores.

De acordo com o The Guardian, o brinquedo sexual já tinha sido considerado pouco seguro o ano passado durante uma conferência de hacking em Las Vegas. Os hackers terão concluído que seria fácil tomar controlo do aparelho já que a app não tinha protocolos de segurança.

O tribunal canadiano condenou a Standard Innovation, empresa que detém a marca We-Vibe, a pagar uma indeminização total de 4 milhões de dólares canadianos (cerca de 2,8 milhões de euros), o que deverá resultar num valor inferior a cerca de 7 mil euros por cliente que tenha usado a app para controlar o aparelho.

  • 333