exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Chamadas de emergência vão ter localização automática

O Ministério da Administração Interna vai implementar uma ferramenta de localização automática das chamadas de emergência efetuadas para o 112. A tecnologia dá pelo nome de AML e deverá ser implementada no último trimestre de 2018

  • 333

No último trimestre de 2018, o serviço 112 deverá começar a localizar automaticamente as chamadas de emergência efetuadas por telefones e telemóveis.

A iniciativa, que consta no Simplex+17, promete uma localização quatro mil vezes superior àquela que hoje é permitida pelo sistema Cell ID que hoje é usado pelo número telefónico de emergência – e que estará na origem de algumas situações menos bem-sucedidas.

A localização das chamadas de emergência deverá ser suportada por uma tecnologia conhecida por AML, que tem vindo a ser testada no Reino Unido, Lituânia e Estónia. De acordo com o Diário de Notícias, a tecnologia AML deverá permitir localizar automaticamente um telemóvel, mediante o envio de SMS com as coordenadas geográficas para os sistemas que suportam o 112.

A localização automática das chamadas para o 112 deverá ser implementada pelo Ministério da Administração Interna (MAI). Como a Exame Informática noticiou na semana passada, o MAI está a preparar a concentração de recursos que ainda se encontram dispersos por vários distritos em dois grandes centros de atendimentoem Lisboa e no Porto, que deverão assegurar o atendimento das chamadas realizadas para o 112 em todo o País.

Em paralelo com a localização automática, o MAI prevê estrear, em outubro, o serviço eCall, que desencadeia chamadas automáticas com o 112, a partir de carros cujos sensores internos tenham registado um potencial acidente.
Com este serviço, os profissionais do 112 entram em contacto com os ocupantes da viatura cujo computador de bordo desencadeou a chamada de emergência, recorrendo ao sistema de som do carro. Nos casos em que os ocupantes se encontram conscientes, os profissionais do 112 poderão saber de viva voz o que terá desencadeado o alerta automática, mas é nas situações em que os ocupantes se encontram inconscientes - e que, por razões óbvias, não podem lançar alertas - que o eCall poderá representar uma grande diferença face ao que hoje está disponível.

Todos os carros fabricados depois de 31 de março de 2018, terão de ter o sistema eCall instalado de origem. Nos carros fabricados antes desta data, serão os proprietários que decidem se instalam ou não o serviço eCall.

  • 333