exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Jscrambler capta 1,9 milhões de euros de Portugal Ventures e Sonae IM

Rui Ribeiro e Pedro Fortuna, os dois fundadores e líderes da Jscrambler, apontam os EUA como mercado prioritário

A startup portuense já chegou a mais de 40 mil empresas e programadores. O financiamento agora angariado vai ser usado na expansão para o mercado americano

  • 333

A Jscrambler, startup especializada no desenvolvimento de proteções para códigos e páginas Web que está sedeada no UPTEC, acaba de anunciar a captação de 1,9 milhões de euros junto da Sonae IM e da Portugal Ventures.

Pedro Fortuna, fundador e diretor de Tecnologias da startup portuense, informa que o financiamento agora angariado tem em vista algumas afinações no posicionamento da empresa e no regresso a uma cidade bem conhecida dos empreendedores da área das tecnologias. «Vamos reabrir o escritório em São Francisco, para termos pessoas nos EUA em permanência. A nossa subsidiária nos EUA já está criada», informa o CTO da Jscrambler.

O empreendedor nortenho não esconde a primazia dada às Terras do Tio Sam: «Para nós, os EUA estão em primeiro lugar (em termos de prioridade) e depois vem a Europa. Quase 50% do nosso negócio vem dos EUA. É o melhor mercado do mundo quando se trata de adoção de inovações».

A Jscrambler foi criada por Pedro Fortuna e Rui Ribeiro na década passada com a denominação de Auditmark. Originalmente, a empresa tinha como principal propósito desenvolver ferramentas que detetavam ou impediam cliques fraudulentos em campanhas de marketing veiculadas na Internet.

No início de 2014, a startup adotou a denominação Jscrambler – que é também o nome do produto que lhe haveria de dar maior projeção: hoje, a plataforma Jscrambler já foi usada por mais de 40 mil produtores de conteúdos, software ou serviços online que pretendem garantir a instalação de ferramentas que evitam que alguém mal-intencionado conheça os códigos de programação que suportam um site e impedem algumas das técnicas mais conhecidas para o desvio de dados pessoais a partir das diferentes páginas Web.

Em paralelo com o reforço da presença no outro lado do Atlântico, a Jscrambler prossegue com a expansão para novos segmentos: «Começámos a funcionar sob a lógica de software as a service, mas queremos começar a trabalhar no segmento empresarial, com a instalação de soluções adaptadas às infraestruturas de cada companhia», explica Pedro Fortuna.

Para dar seguimento à estratégia delineada, a Jscrambler deverá proceder à contratação de 20 pessoas até ao final do ano – o que permitirá fechar 2018 com 45 profissionais.

  • 333