exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Meo lança nova box de TV. Sofia é o nome

FernandoSousa

A Meo anunciou hoje uma nova interface de navegação de TV. A estreia surge em paralelo com o lançamento de uma nova box que não necessita de furos na parede para ser deslocada dentro da casa

  • 333

Na conferência de imprensa realizada no Altice Arena, estavam os sete administradores da Altice, mas o efeito mediático acabou recair numa Sofia e numa… Sophia. A Sophia é um robô criado pela Hanson Robotics que dispõe de inteligência artificial para manter uma conversação com um humano e que vai contracenar com Cristiano Ronaldo na nova campanha publicitária da Meo. A Sofia é uma nova box de TV, que deve o nome à palavra que os gregos usam para nomear a sabedoria, mas que tem por principal característica o facto de poder ser deslocada para qualquer divisão de uma casa sem exigir colagem de cabos ou furos na parede.

Se quanto à Sophia pouco mais haverá a acrescentar às demonstrações realizadas durante a Web Summit, no caso da Sofia, quase tudo ainda está por revelar: a box vai começar a ser disponibilizada para clientes da Meo com Internet a mais de 200 Mbps e/ou que assinam pacotes com, pelo menos, quatro serviços (exemplo: telefone+TV+telemóvel+Internet). Os clientes que enveredaram por outros tarifários menos evoluídos ou onerosos poderão solicitar o upgrade para a nova box, desde que aceitem pagar mensalidades de 7,5 euros em vez das mensalidades de cinco euros que costumam pagar pelas boxes que têm vindo a usar.

A nova box Sofia é fabricada pela marca Arris, mas incorpora tecnologia sem fios desenvolvida pelos laboratórios da Altice, que permite conectar com um router a 5 GHz. É devido ao uso desta tecnologia que a Sofia fica equipada para se conectar a um router que distribui os diferentes sinais de telecomunicações em ambiente doméstico, sem necessidade de cabos ou furos na parede. O que significa que, a qualquer momento, o utilizador pode mudar a box para qualquer divisão de uma casa, recordou João Epifânio, responsável pelas vendas e pelos negócios de consumo na administração da Altice Portugal, durante a conferência de imprensa realizada esta tarde.

«Além disso, a Sofia está preparada para conteúdos 4K e permite fazer o upscaling de imagem, que emula o 4K, mesmo em dispositivos (ecrãs ou televisores) que não têm 4K», acrescentou Epifânio.

A par da box, a Altice apresentou mais uma novidade no “cabaz” de TV. De ora em diante, todos os clientes da Meo vão passar a poder usar um novo interface que pretende tornar o acesso aos conteúdos «mais rápido e intuitivo». «Muitos utilizadores já não querem andar a navegar à procura nos conteúdos de um canal», explicou João Epifânio, avançando um motivo que levou ao lançamento de um interface de TV que pretende facilitar a pesquisa de conteúdos por temas ou denominações – e que poderá funcionar como alternativa ao tradicional zapping por canal.

Antes de João Epifânio, Alexandre Fonseca, o diretor executivo da Altice Portugal já havia apresentado a imagem renovada que vai pautar a nova campanha publicitária das marcas da Altice. «Humaniza-te» é a assinatura da nova campanha.

As notícias que no passado davam como certo o fim de todas as marcas legadas pelo histórico da PT e a adoção generalizada da marca Altice acabaram por se revelar manifestamente exageradas. «A marca Meo não era para acabar e nenhuma marca (proveniente da PT) era para acabar», esclareceu Alexandre Fonseca, reiterando por mais de uma vez «o orgulho» no legado da PT.

Com esta posição, a Altice assume-se como uma marca chapéu, que designa o grupo, mas Meo, Moche, Uzo, Sapo e PT Empresas mantêm-se em uso – até porque a operadora não está disposta a desperdiçar o valor de marca e os investimentos que foram feitos no passado (no caso do Meo nos últimos dez anos).

Face à insistência dos jornalistas em relação às centenas de habitantes de zonas afetadas pelos incêndios que continuam sem serviços de telecomunicações, Alexandre Fonseca defendeu que a Altice tem «estado à altura das responsabilidades» e que já terá começado a instalar fibra ótica em 30 concelhos que foram afetados pelos incêndios.

«Continuamos a levar fibra ótica onde os outros não vão», referiu o CEO da Altice Portugal, numa frase que também pode ser enquadrada no esforço que a operadora tem feito para conectar 75% da população dos concelhos do maciço central da Serra da Estrela.