exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Tenzo, a Inteligência Artificial ao serviço dos restaurantes e contra o desperdício alimentar

Um executivo da McKinsey e um aluno de Cambridge juntaram-se para criar a Tenzo, uma solução de Inteligência Artificial que acaba de angariar 1,8 milhões de dólares para ajudar a combater o desperdício alimentar.

  • 333

Exame Informática

De toda a comida produzida anualmente para consumo alimentar em todo o mundo, muita vai parar ao lixo ou acaba por ser desperdiçada de outra forma qualquer. Com este contexto, Adam Taylor, da McKinsey, e Christian Mouysset, licenciado de Cambridge, juntaram-se para criar a Tenzo, uma solução que mistura Inteligência Artificial e aprendizagem de máquina para ajudar os donos dos restaurantes a produzirem a quantidade certa de comida para cada hora do dia, para cada dia da semana, de acordo com diferentes fatores. A iniciativa conseguiu agora angariar 1,8 milhões de dólares, noticia o Venture Beat.

O sistema da Tenzo foca-se em quatro vetores: vendas, custos de trabalho, gastos de inventário e feedback dos clientes. A informação provem de diferentes fontes, como as vendas, a meteorologia, as redes sociais e o desempenho dos funcionários e é processada de forma a produzir análises e alertar o corpo de gestão dos estabelecimentos. A Tenzo é capaz de chamar a atenção, por exemplo, para determinados períodos mais calmos ou picos de trabalho esperados. «Não estamos só a a tornar os dados disponíveis, estamos também a produzir alertas como “Sabe que não encomentou produtos suficientes para a previsão que temos para amanhã”», explica Taylor.

Os criadores do sistema prometem uma previsão 50% mais precisa e um aumento nas margens de lucro de 18%. «Dados em tempo real e aprendizagem das máquinas levam os restaurantes a um futuro radicalmente diferente», expicou Kent Ho, um dos responsáveis pela S28 Capital que investiu nesta solução.

A Tenzo já chegou a 700 clientes em lojas físicas no Reino Unido, EUA, Irlanda e França. Segundo os responsáveis, alguns destes clientes já conseguiram reduzir custos com pessoal em 10% e cortar no desperdício alimentar em 28%.