exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Hydrustent e NeuroPsyAI ganham prémios de inovação em concurso europeu

Foto dos 21 distinguidos pelas várias categorias do concurso de startups da EIT Health

Duas startups portuguesas foram distinguidas num concurso que pôs à prova startups dos vários países da UE. A NeuroPsyAI garantiu um segundo lugar, enquanto a Hydrustent ficou em terceiro

  • 333

As startups portuguesas Hydrustent e NeuroPsyAI foram distinguidas na final do concurso de startups European Health Catapult, que foi levado a cabo pela EIT Health, em Lodz, Polónia, na passada quarta-feira. A NeuroPsyAI recebeu um prémio de 15 mil euros por ter garantido o segundo lugar na final da categoria Digital Health. A Hydrustent garantiu os 10 mil euros relativos ao terceiro lugar na categoria de MedTech do concurso de startups organizado pela rede de inovação EIT Health com fundos europeus.

A NeuroPsyAI desenvolve algoritmos que permitem detetar padrões de doenças neurológicas (Parkinson, Alzheimer, etc.) a partir de ressonâncias magnéticas. O roteiro de desenvolvimento da empresa também prevê a expansão da nova ferramenta para a análise de tomografias computorizadas, eletroencefalografias ou exames levados a cabo pela denominada medicina nuclear.

Os algoritmos criados pela NeuroPsyAI pretendem fazer a diferença com diagnósticos rápidos que permitem apoiar a análise dos especialistas com dados quantitativos e a deteção de padrões que indiciam doenças neurológicas. A nova ferramenta poderá revelar-se quatro a cinco vezes menos onerosa que os métodos de diagnósticos da atualidade. A NeuroPsyAI é uma startup criada por investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL). Na primavera já havia recebido um prémio da rede de aceleração de negócios EIT Health, e no ano passado foi uma das empresas distinguidas pelos prémios da PT Inovação e SME Instruments da Comissão Europeia. A empresa é liderada por Diana Prata, Hugo Ferreira e Maria Costeira.

Diana Prata e Hugo Ferreira, da NeuroPsyAI, ao centro segurando os galardões atribuídos durante o concurso de startups da EIT Health

Diana Prata e Hugo Ferreira, da NeuroPsyAI, ao centro segurando os galardões atribuídos durante o concurso de startups da EIT Health

A Hydrustent é uma empresa minhota que está a desenvolver uma nova geração de stents (endopróteses) que poderão ser usados nas uretras humanas. Além de evitarem infeções de origem bacteriológica, os stents desenvolvidos pela Hydrustent distinguem-se por serem biodegradáveis e poderem ser usados a título temporário, evitando assim segundas cirurgias para os casos em que é necessário proceder à remoção. Outro dos atrativos da startup nortenha é o custo: menos 60% do preço médio praticado nos stents da atualidade.

A Hydrustent está sedeada no Avepark (Parque Industrial da Gandra), entre Guimarães e Braga. A empresa tem como CEO Alexandre Barros, e como chairman Rui Reis, um dos mais reconhecidos especialistas na investigação de pele e ossos artificiais para humanos da atualidade.