exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Oeiras tem 1,8 milhões por ano para investir em ciência e tecnologia

Foto: D.R.

Entre os planos do município estão a criação de uma feira de ciência, uma unidade de apoio à propriedade intelectual e a atração de cientistas internacionais

  • 333

O município de Oeiras vai investir 1,8 milhões de euros por ano, entre 2020 e 2025, em ciência e tecnologia. O plano foi apresentado nesta terça-feira e vai estar focado em três grandes áreas: educação, inovação e internacionalização. O valor destinado a estas áreas representa 1% do orçamento do município.

Num documento com 19 páginas, Oeiras detalhe de que forma pretende investir o dinheiro. Na área da educação, o objetivo passa por criar uma agenda de eventos científicos, apostar no desenvolvimento do ensino experiência das ciências na escolas – com destaque para o ensino básico –, apostar em seminários e conferências e criar o festival de ciência Oeiras Valley Science Fair.

Já no segmento da inovação, a aposta vai cair sobre duas medidas específicas: a criação de uma unidade de apoio à proteção e exploração da propriedade intelectual, o que ajudará numa área de forte burocracia; e vai ser ainda criado um programa de financiamento para que investigadores possam fazer a prova de conceito de novos projetos.

«Prevê-se o apoio à criação de incubadoras de negócios e a projetos de aceleramento, com a finalidade de criar condições de desenvolvimento local desde a investigação à aplicação», lê-se ainda no documento que detalha as propostas.

No campo da internacionalização, Oeiras quer «criar um programa formal de visitas, hospedando os melhores cientistas do mundo, através de sabáticas, cursos e workshops», desenvolver atividades específicas cientistas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e criar prémios que distingam cientistas e empreendedores portugueses e estrangeiros.

«A autarquia tem um conhecimento de proximidade, tem uma visão integrada das sinergias que se podem gerar e pode alavancar estratégias locais que, assentes na ciência e na inovação, representam uma visão coerente para um território ou região.», escreve Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal de Oeiras, no documento.

Estima-se que 30% da capacidade tecnológica de Portugal esteja situada no município de Oeiras. A criação de um orçamento específico para as áreas de ciência e tecnologia faz parte do projeto Oeiras Valley, anunciado em maio, e que prevê o investimento de 400 milhões de euros, até 2026, para atrair empresas de tecnologia para a região.

  • 333