exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Deteção de peões não é fiável, alerta Associação Automóvel Americana

Entrega de vários Model 3 numa zona portuária

VCG - Getty Images

Os testes da AAA envolveram vários cenários e velocidades. Foram testados os modelos Malibu, da Chevrolet; Accord, da Honda; o Model 3, da Tesla; e o Camry da Toyota

  • 333

Há sistemas de deteção automática de carros e há sistemas de deteção automática de peões. Ambos podem combinar câmaras, radares, ou lidar, mas não têm o mesmo nível de eficácia, conclui a Associação Automóvel Americana (AAA). Enquanto as estatísticas mais recentes revelam uma tendência para a diminuição do número de choques entre veículos, os testes levados a cabo pela AAA com quatro modelos bem conhecidos confirmam que os deteção de peões não são suficientemente fiáveis para evitar um atropelamento. Os testes envolveram os modelos Malibu, da Chevrolet; Accord, da Honda; o Model 3, da Tesla; e o Camry da Toyota.

Os quatro modelos foram sujeitos a diferentes cenários e velocidades, e ainda bonecos (ou crash test dummies) de estatura de adultos e crianças. Mesmo nos testes mais fáceis houve quem “chumbasse”. Na simples deteção de um peão a 32 km/h, o Malibu da Chevrolet não conseguiu evitar por cinco vezes o “atropelamento”, apesar de ter detetado a presença do peão no instante anterior. O mesmo sucedeu com o Model 3 da Tesla, informa a Ars Technica, que recorda ainda que o Accord, da Honda, demorou mais algum tempo a detetar o peão, mas conseguiu evitar o atropelamento em três de cinco tentativas. O Camry, da a Toyota, ficou com o melhor desempenho, evitando os peões em todos os testes.

A Ars Technica informa ainda que o desempenho dos quatro veículos testados diminuiu quando, no mesmo cenário, se aumentou a velocidade para os 48 Km/h. O Accord apresentou os melhores resultados, conseguindo, além do abrandamento, evitar a colisão por duas vezes em cinco tentativas. O melhor que os restantes modelos conseguiram foi um abrandamento de 8 Km/h.

Num outro cenário mais complexo, os sistemas de deteção de peões dos quatro carros tinham de detetar e atuar perante o aparecimento de um boneco que simulava uma criança a sair de entre dois carros estacionados junto à estrada. O modelo da Toyota falhou em detetar a criança em qualquer das cinco tentativas, enquanto o carro da Tesla lançou alertas, mas não diminuiu a velocidade. O modelo Chevrolet diminuiu a velocidade em duas tentativas, e lançou alertas em todas as ocasiões. O carro da Honda evitou por duas vezes a colisão, e diminuiu a velocidade em todas as tentativas.

Um terceiro cenário previa o aparecimento de um peão depois de uma curva – e só o modelo Malibu, da Chevrolet, se saiu bem, com o lançamento de alertas num total de quatro vezes em cinco. Os modelos da Tesla, Toyota e Honda não chegaram a detetar e a alertar para a presença de um peão.

Por fim, dois testes com um “chumbo” generalizado: nenhum dos quatro veículos testados conseguiu distinguir dois bonecos juntos a meio da estrada; e nenhum dos carros foi capaz de detetar, uma hora depois do pôr do sol e sem luz que não a dos respetivos faróis e farolins, um peão no meio da estrada a uma velocidade de pouco mais de 40 Km/h.

  • 333