exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Documentos internos mostram que Facebook sabia que estava a tramar programadores

JOSH EDELSON - Getty Images

A relação do Facebook com os programadores de apps de terceiros não é sempre pacífica. Foram revelados milhares de documentos internos com chats da empresa, entre funcionários, onde se discutia a postura da gigante rede social.

  • 333

Exame Informática

Os documentos divulgados são milhares de páginas de chats entre funcionários da empresa de onde se percebe que estes sabem exatamente que o Facebook estaria a «lixar a vida» aos programadores que precisavam de aceder às API do Facebook e aos dados de utilizadores. Nestes chats, já com alguns anos, há quem lamente a postura do Facebook em todo o processo. Os documentos em questão foram apresentados em tribunal pela startup Six4Three num processo no Reino Unido e acabaram por chegar agora aos media, numa fuga de informação.

O Facebook posicionou-se oficialmente a indicar que estaria a vedar o acesso de terceiros aos dados de utilizador como uma forma de manter a privacidade destes, mas, na verdade, o objetivo parecia ser apenas limitar os seus rivais diretos.

Ilya Sukhar é um dos funcionários do Facebook cujas conversas com o diretor de gestão de produto Edward O’Neil estão a ser citadas nos media, como o Mashable. O responsável de desenvolvimento descreve a simplificação da plataforma de forma a equilibrar o acesso que os terceiros vão ter. «Sinto que sou o único com uma base com princípios aqui e que vocês só querem ter alguma coisa feita (...) Passei o dia a falar com dezenas de devs que vão ser completamente f*did*s com isto e que não serão pelas razões corretas».

Ilya Sukhar comunicou também com Kevin Lacker (ambos fundaram o Parse, que foi comprado pela Facebook) a explicar que «estão a fazê-lo de maneira a que as apps não consigam ver nenhum dos teus amigos que não estejam também na app». Lacker responde que «Parece tramado e os developers vão odiar-nos».

O Facebook não respondeu publicamente sobre esta nova divulgação remetendo apenas para a declaração do porta-voz oficial onde se assume que «documentos antigos foram tirados de contexto e revelados por alguém com uma agenda contra o Facebook».

De uma forma global, limitar o acesso aos dados de utilizador será uma coisa positiva, mas estas mensagens mostram como o Facebook tinha sobre os programadores já em 2013 e que a empresa não receava usar esse poder para obter uma posição de domínio.

  • 333