exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Software

Buddy for Sports: uma app para fazer desporto e também amigos

A app Buddy for Sports foi criada em Portugal, mas tem como pretensão juntar pessoas de qualquer ponto do mundo na prática de um desporto. Atualmente tem inscritos 5000 praticantes de 84 modalidades.

  • 333

Hugo Séneca

Aos 44 anos, Bruno Miranda já não tem pretensões de ser captado por nenhum olheiro, mas não desiste de deixar uma marca no desporto mundial com a Buddy for Sports. Com mais três sócios, o não tão jovem bancário reparte o dia-a-dia entre a profissão e a perspetiva de criar uma rede social que permite agendar eventos para 84 desportos «em qualquer lugar do mundo». Entre maio e o dia de hoje, a Buddy for Sports já garantiu mais de 5000 utilizadores. «Entre 20% e 25% desses utilizadores são estrangeiros», refere o líder da CEO da Buddy for Sports, apontando uma meta: «vamos entrar no mercado brasileiro e nos EUA até ao final do ano».

A história da Buddy for Sports está ligada diretamente aos hábitos desportivos dos sócios que criaram a empresa. Todos jogam padel, há um corredor com ambições de maratonista, e o próprio Bruno gosta de fazer o jeito ao pé, quando há uma baliza disponível. E foi precisamente no desporto-rei que se tornou mais notória a utilidade de uma rede social como a Buddy for Sports: «por mais de uma vez tentei marcar jogos com amigos e não pude porque faltavam pessoas». Os inquéritos realizados junto de mais de 500 pessoas confirmaram a tendência: «apresentámos este inquérito a pessoas de vários países e muitas delas diziam que não praticavam mais desporto porque não encontravam companhia». A Buddy for Sports pretende dar resposta a este dois-em-um, sem custos para os utilizadores: «juntamos o desporto à socialização», acrescenta Bruno Miranda.

Na Buddy for Sports, o utilizador escolhe quais as modalidades que pratica e qual o nível de aptidão. O leque de opções vai das danças de salão ao póquer, e do futebol ao snowboard. Consoante estas escolhas, o utilizador poderá entrar em eventos desportivos que tenham sido lançados por outros membros da rede social ou, em alternativa, criar o seu próprio evento (uma corrida, uma partida de hóquei, futebol ou padel, etc.) para que outras pessoas participem. Para chamar a atenção dos interessados, os criadores dos eventos podem enveredar pela divulgação no Facebook ou no Whatsapp ou enviar e-mails e SMS.

«No futuro, vamos lançar push notifications, que já permitirão alertar os utilizadores dentro da própria app», acrescenta Bruno Miranda, lembrando que a rede social está apta a registar o histórico de resultados – que poderão ser usados para os mais orgulhosos amadores divulgarem os respetivos feitos na Web.

Hoje, a Buddy for Sports tem parcerias com 18 clubes que gerem recintos desportivos, e duas marcas de equipamento desportivo. É com estas parcerias que a startup mantém a esperança de desenvolvimer um modelo de negócio promissor: «no futuro poderemos vir a cobrar comissões a quem cria eventos de maior dimensão; ou então explorar a publicação de anúncios», prevê Bruno Miranda. Também para um futuro próximo estará o lançamento de uma funcionalidade de pagamento que deverá juntar-se à inscrição em eventos, que a Buddy for Sports já disponibiliza atualmente.

Bruno Miranda já identificou potenciais concorrentes – e foi a partir dessa análise que foram definidos os mercados prioritários: além do Brasil e dos EUA, também a Alemanha e a Itália figuram entre os destinos mais apetecidos pela Buddy for Sports. O líder da Buddy for Sports lembra que não conhece nada do género nos EUA e na Alemanha, e que no Brasil e na Itália, há apenas a concorrência de sites que estão focados apenas no futebol. Pelo contrário, não há planos para a entrada em Espanha: «Aí já há várias aplicações similares com muitos utilizadores».

  • 333