exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Software

Erro ortográfico impede roubo eletrónico de mil milhões de dólares

Um erro ortográfico feito por hackers numa ordem de transferência de 20 milhões de dólares do Banco Central do Bangladesh. Esse erro despoletou a atenção das autoridades que foram a tempo de cancelar a transferência. Mesmo assim, os hackers conseguiram roubar 81 milhões de dólares.

  • 333

Escrever “fantation” em vez de “foundation”. Foi este o erro ortográfico que despertou a atenção do Deutsche Bank, a entidade bancária que estava na rota da transferência de 20 milhões de dólares que hackers estavam a tentar fazer entre o Banco Central do Bangladesh e entidades nas Filipinas e no Sri Lanka. A notícia é avançada pela Reuters que avança que, se concretizadas todas as transferências tentadas, o roubo destes hackers poderia atingir os mil milhões de dólares. Mesmo assim, os piratas informáticos que conseguiram entrar nos sistemas do Banco Central do Bangladesh e roubar as credenciais para as transferências de pagamentos, conseguiram ficar com 81 milhões de dólares. O erro ortográfico impediu transferências na ordem dos 870 milhões de dólares.

Com as credenciais roubadas, os hackers enviaram dezenas de pedidos ao Banco da Reserva Federal de Nova Iorque para que grandes quantidades de dinheiro saíssem do Bangladesh para o Sri Lanka e Filipinas.

Tudo poderia ter terminado bem para os piratas se não tivessem feito o tal erro ortográfico quando pediram uma transferência de 20 milhões de dólares para uma Organização Não Governamental, a Shalika Foundation. Que, erradamente, foi escrita como: “Shalika fantation”.

Um erro fatal que não passou despercebido aos funcionários do Deutsche Bank (uma das entidades que estava no processo de verificação das transferências) que pediram esclarecimentos à entidade bancária do Bangladesh.

Segundo a Reuters, em Nova Iorque, o volume de transações para entidades não bancárias também já tinha levantado suspeitas.

Por enquanto, não são conhecidas mais informações sobre este caso.

  • 333