exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Software

Apple apressa-se a resolver falha no FaceTime que permitia ouvir a outra pessoa mesmo que a chamada não fosse atendida

Westend61

A falha na aplicação foi detetada quando alguém se adicionava a si mesmo numa videochamada de grupo. Até à Apple bloquear esta opção, a chamada de grupo permitia ouvir todas as pessoas, mesmo que um dos destinatários ainda não tivesse atendido.

  • 333

Exame Informática

A Apple desativou temporariamente a funcionalidade que permitia fazer videochamadas de grupo via FaceTime, devido a um erro no sistema que permitia aos utilizadores que realizavam as chamadas ouvirem as pessoas para quem telefonavam, sem que a chamada fosse atendida. Este glitch permitia também que, nalgumas circunstâncias, se conseguissem ver imagens captadas pelas câmaras dos receptores antes das chamadas serem atendidas.

Segundo o The Guardian, a existência de um bug foi divulgada na passada segunda-feira pela página 9to5Mac, curiosamente no dia assinalado como Dia da Privacidade de Dados. Neste caso, o bug ativava o microfone do telemóvel, enquanto a videochamada estava em curso, e caso o receptor carregasse no botão de "ligar/desligar" - normalmente utilizado quando se pretende silenciar ou ignorar uma chamada - o telefone começava a transmitir imagens e sons para quem tinha iniciado a videochamada.

De acordo com a informação na página oficial da Apple, esta opção foi já desativada para evitar a existência de mais casos de violação de privacidade.

Esta situação levou a que Tim Cook, o atual CEO da gigante californiana, se pronunciasse nas redes sociais, reforçando que: «Temos de continuar a lutar pelo mundo em que queremos viver», no Dia da Privacidade de Dados, pois «os perigos são reais e as consequências são ainda mais gravosas».

Coincidentemente, a falha foi descoberta um dia antes de serem anunciados os resultados trimestrais de desempenho financeiro da empresa, os quais se estimavam trazer alguma tensão devido aos cortes orçamentais, no valor de 5 mil milhões de doláres, (aproximadamente 4.376.775.000€), que a Apple tem vindo a efetuar. Cortes esses que Cook justificou terem ocorrido devido às flutuações do mercado chinês, entre outros fatores que implicaram mudanças nos processos de fabrico.

O The Guardian avança que, embora a Apple tenha bloqueado a opção que causou esta situação por agora, a solução para o bug chegará apenas no final da semana, quando forem lançadas as novas atualizações do sistema operativo.

Mesmo assim, o plano da Apple ainda não é de conhecimento público e não se sabe como vai aumentar o nível de segurança dos utilizadores de dispositivos da marca.