exameinformatica

Uma parceria EXPRESSO

Siga-nos nas redes

Perfil

Opinião

Apple quer desenvolver chips para a Realidade Aumentada e para a nova era da supercomputação

Foi uma notícia que passou praticamente despercebida: a Apple pôs ponto final na relação com a Imagination Technologies. É natural que desconheça esta empresa. A Imagination Technologies não tem grande notoriedade pública porque desenvolve tecnologia para outras marcas. E o que é que a Imagination Technologies fazia para a Apple? A tecnologia de processamento gráfico que está no interior dos processadores do iPhone e do iPad. Para um leigo, até pode parecer coisa de pouca importância, mas a importância desta tecnologia é de tal ordem que a Apple preferiu acabar com a relação apesar dos excelentes frutos que tem dado. Confuso? Passo a explicar.

  • 333

As unidades de processamento gráfico (GPU) têm vindo a aumentar de importância à medida que os sistemas de computação evoluem para um maior paralelismo (processar mais dados simultaneamente). Além da óbvia importância dos gráficos nas aplicações atuais – não nos referimos “apenas” aos jogos, mas também ao aumento da riqueza das interfaces e da importância do multimédia –, estas unidades já há muito que ultrapassaram a capacidade de processamento dos processadores centrais (CPUs). É graças aos GPUs que tecnologias como a Realidade Virtual, a Realidade Aumentada, a Inteligência Artificial (IA), o Deep Learning e o Machine Learning têm evoluído. A presença de GPUs nos mais poderosos supercondutores do mundo tornou-se habitual. Os chips chineses que motorizam o líder do Top 500, a lista dos mais poderosos supercomputadores do mundo, têm uma arquitetura muito mais próxima de GPUs do que de CPUs. E na mesma lista é fácil encontrarmos processadores Nvidia Tesla (GPUs) na lista de componentes dos supercomputadores – a arquitetura da Nvidia também lidera na tecnologia de condução autónoma. Há poucos dias, a Google revelou detalhes sobre os processadores que a empresa desenvolveu e que denomina de Tensor Processing Unit (TPU), a tecnologia que tem estado na base da grande evolução da IA da Google em áreas como reconhecimento de voz e interpretação de imagens. Os TSU são… adivinhou… uma evolução dos GPU.

Este conteúdo é parte integrante da Exame Informática Semanal. Para continuar a ler clique AQUI (acesso livre).

  • 333
  • O ataque WannaCry, que sequestrou dados de milhares de computadores em todo o mundo, veio dar razão aos alertas dos especialistas em segurança que têm vindo a alertar constantemente para o crescimento e perigos deste tipo de ataque. Felizmente, como acontece com a esmagadora maioria do malware, há formas de evitar esta e outras "infeções"