exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência

Desenvolvido sistema que conserva no frio órgãos humanos

Investigadores conseguiram arrefecer órgãos humanos a temperaturas abaixo dos zero graus e voltar a “aquecê-los” de forma a facilitarem transplantes.

  • 333

Exame Informática

Korkut Uygun, da Harvard Medical School e do Massachusetts General Hospital, explica que «as tecnologias estão já disponíveis ou facilmente ao alcance» para se conseguir conservar órgãos humanos a muito baixas temperaturas, mantendo a possibilidade de os utilizar novamente. Numa experiência bem sucedida, os órgãos arrefecidos estavam em boas condições para serem usados passadas 27 horas.

A hipótese de os congelar não se coloca, porque os cristais de gelo causariam danos irreparáveis. A equipa usou uma técnica para baixar a temperatura de água até -6 graus centígrados, sem a congelar.

Os cientistas foram bem sucedidos em preservar fígados de rato com este método e escrevem agora na Nature Biotechnology que conseguiram encontrar forma de injetar químicos nos fígados humanos para os manter num estado de «animação suspensa». O processo de recuperação destes fígados foi feito através da injeção gradual e lenta de sangue quente.

Este avanço aumenta o tempo de vida dos órgãos disponíveis para transplante, aumentando o alcance deste procedimento.

  • 333