exameinformatica

Uma parceria VISÃO

Siga-nos nas redes

Perfil

Mercados

Samsung lidera venda de smartphones em Portugal. Huawei cai ao fim de dois anos

Foto: Josh Edelson / Getty Images

Vendas de smartphones da marca chinesa sofreram uma quebra nas semanas seguintes ao anúncio das restrições impostas pelos EUA e recuperaram depois na parte final do trimestre, mas não o suficiente para impedir um deslize

  • 333

A Samsung é a marca que mais smartphones vende em Portugal: vendeu 196 mil unidades entre abril e junho, um valor muito superior aos 164 mil vendidos em igual período de 2018. O desempenho positivo fez a quota de mercado da marca crescer de 25,5% para 33,1%.

A empresa sul-coreana superou assim a rival Huawei, que no segundo trimestre vendeu 173 mil smartphones em Portugal – o valor fica abaixo das quase 181 mil unidades vendidas no período homólogo de 2018, de acordo com dados da consultora IDC.

«O fabricante estava com crescimentos acima de 40% nos trimestre anteriores e no segundo trimestre [2019] as vendas caíram pela primeira vez durante os últimos dois anos», sublinha Francisco Jerónimo, analista principal da IDC, em nota de imprensa.

Ainda segundo o analista, as restrições impostas pelos EUA contra a Huawei – e que resultou na proibição de utilização do sistema operativo Android em novos smartphones – “assustaram” os consumidores, já que as vendas caíram «durante as primeiras semanas a seguir ao anúncio». A marca chinesa recuperou no entanto com o passar das semanas e «as vendas no final do trimestre já tinham recuperado para níveis semelhantes à performance de início de maio, antes do anúncio da restrição», explica Francisco Jerónimo.

Um efeito que a própria Huawei Portugal já tinha admitido ter acontecido. «Temos duas semanas de adiamento de compra, os consumidores queriam mais informação sobre o que estava a acontecer, mas depois recuperamos para o nível de vendas normal», disse Tiago Flores, responsável pela área de consumo da marca, num evento com jornalistas em julho. Na altura o responsável também classificou o impacto nas vendas como não sendo «significativo».

Apesar da quebra sentida pela Huawei, a empresa conseguiu inclusive aumentar a quota de mercado: no segundo trimestre de 2018 tinha garantido 28,1% e este ano passou para 29,2%. Isto explica-se pela quebra significativa que o universo dos smartphones sofreu, como um todo, em Portugal.

Entre abril e junho foram vendidos 593 mil smartphones no mercado português, abaixo dos 643 mil do mesmo período do ano passado. No total, o mercado recuou 7,7%.

A terceira posição no ranking de empresas que mais vendem é ocupada pela Apple, que comercializou 66,3 mil smartphones, mais nove mil unidades do que em 2018, garantindo 11% de quota de mercado. A quarta posição é ocupada pela TCL, empresa responsável pela marca Alcatel, cujas vendas caíram de de 46,9 para 23,9 mil unidades, e o quinto lugar pertence à Xiaomi, que subiu de 18,5 mil para 22,9 mil smartphones vendidos.

Destaque final para os 91,5 mil feature phones que foram vendidos no segundo trimestre, mas que representa uma quebra de 30% em comparação com os 133,9 mil vendidos no mesmo período de 2018.

  • 333